Abastecimento com água do Rio Doce é retomado em Governador Valadares e Colatina

Boias de contenção não impedem que lama atinja vegetação na foz do Rio DoceO ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, disse hoje (25) que os municípios de Governador Valadares, em Minas Gerais, e Colatina, no Espírito Santo, já estão captando e tratando a água do Rio Doce para garantir o abastecimento à população.

Segundo Occhi, apesar de ainda haver muita lama, os laudos indicam que a água está apropriada para consumo humano. “Quero passar essa segurança. Ninguém seria irresponsável de autorizar [a distribuição da água] se nela houvesse algum risco para a sociedade”, disse o ministro.

De acordo com Occhi, como a chuva pode revolver a lama que está acumulada e comprometer a qualidade da água, o monitoramento é feito em vários pontos de captação e em vários momentos do dia.

Ele informou que, em Governador Valadares, a cada dois ou três dias, a captação é interrompida para limpar a lama da estação de tratamento. Segundo o ministro, a mineradora Samarco executará no município um projeto para captar água do Rio Suaçuí Grande, que deságua no Rio Doce.

No dia 5 de novembro, cerca de 62 milhões de metros cúbicos de lama com rejeitos de minério vazou do rompimento de uma barragem da mineradora Samarco no município de Mariana, em Minas Gerais. A lama que escorre pelo Rio Doce atingiu o mar no domingo (22).

Occhi informou que 15 cidades em Minas Gerais e três no Espírito Santo foram atingidas, em geral cidades pequenas, de até 4 mil habitantes. As maiores são Governador Valadares, que tem 290 mil habitantes, e Colatina, com 120 mil. O ministro disse ainda que 250 homens do Exército estão nas duas cidades para dar segurança e apoio na distribuição emergencial da água, até que se regularize a situação.

A mineradora Samarco, com apoio dos estados e prefeituras, fará um levantamento dos trabalhadores que tiravam seu sustento do Rio Doce para, segundo Occhi, fazer o ressarcimento mensal para as famílias. O valor a ser pago ainda será definido, mas o ministro diz que, para os atingidas em Mariana, a mineradora pagará um salário mínimo mais 20% para cada membro da família.

Occhi participou nesta quarta-feira do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *