Norte da Itália vive dia de caos por causa da neve

Chuvas e neve atingem o norte da Itália (foto: ANSA)

Chuvas e neve atingem o norte da Itália (foto: ANSA)

A onda de mau tempo, que atinge a Itália há uma semana, não dá trégua e continua a causar problemas sérios, em especial, no norte do país. Dezenas de estradas foram fechadas e o sistema de transporte por trens sofre com atrasos de até uma hora na região de Bolonha.

 Além disso, os Trens de Alta Velocidade (TAV) e de média e longa distância também enfrentam problemas em todo o norte, complicando a vida de quem precisa sair de casa. Por culpa do congelamento de linhas elétricas, o TAV que liga Milão a Bolonha não está funcionando com plena capacidade e atrasos de até 1h40 foram registrados.

 O ministro de Infraestrutura e Transporte, Maurizio Lupi, pediu a criação de uma lista detalhada sobre todas as estradas que foram fechadas por causa da neve. Para isso, ele se reunirá emergencialmente com as concessionárias que administram as rodovias italianas.

 Em Trieste, de acordo com os institutos de meteorologia, os ventos chegaram a atingir quase 150km/h durante a madrugada e 140km/h pela manhã. O mau tempo trouxe também fortes chuvas, que derrubaram árvores na linha ferroviária da cidade.

 A região de Marcas está enfrentando uma forte chuva que já causou a evacuação de diversas residências. Até o momento, ninguém ficou ferido e os danos são apenas materiais.

 Já em Milão, a queda de chuva e de neva não cessa. Desde ontem (05), a capital da moda enfrenta atrasos no transporte público, especialmente na circulação de trens. Em Cúnio, os bombeiros e a Defesa Civil atenderam inúmeras chamadas de moradores para alertar sobre a queda de árvores e pedindo ajuda para sair de casa. Em algumas áreas, a neve passou de um metro de altura na porta das estruturas.

 Na Emilia-Romana, a Defesa Civil foi colocada em alerta pelo aumento no nível do mar e dos rios. Diversos alagamentos foram registrados em toda a região.

 Em Veneza, o aumento do nível da água faz com que 30% da cidade, especialmente a praça de San Marco, esteja alagada. Esse é o oitavo dia seguido que a maré fica acima dos 80 centímetros, nível no qual a água começa a invadir a área habitada.

Fonte: Ansa Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *