Consumidor pode economizar sem comprometer a ceia de Natal

Chef afirma que reaproveitar a Ceia de Natal é uma excelente opção para fazer deliciosos pratos

Uma pesquisa divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que não são só os preços dos presentes de Natal que vão pesar no bolso do consumidor brasileiro. A ceia de Natal está 18,6% mais cara do que no ano passado. A título de ilustração, neste ano, os produtos usados na ceia estão três vezes mais caros do que a média registrada pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no período de dezembro de 2011 a novembro de 2012, que foi de 5,77%.

Para o sócio-proprietário da de uma cachaçaria em Uberlândia, Rogério Perdiz, mesmo com a crise o consumidor pode fazer uma ceia econômica. “Assim como em todos os anos, a dica é fazer uma pesquisa antes de ir às compras. Outra sugestão é aproveitar as promoções de Natal”, diz Rogério.

Ceia econômica

As sugestões para aliviar o bolso do consumidor não param por ai. A chef de cozinha Eliane dos Santos, diz que a substituição por itens mais baratos é uma ótima saída para driblar a inflação. “No caso das carnes, uma opção mais barata é o cupim. Pode ser servido com uma farofa ou arroz com passas e fica muito saboroso. As nozes podem ser trocadas por frutas tropicais, como a uva e o melão”, disse a chef.

Outra dica de Eliane é aproveitar o restante da ceia que não for utilizada e criar novos pratos no tradicional almoço de Natal, do dia 25 de dezembro. “Com um pouco de improviso dá para reaproveitar a ceia da noite anterior e fazer pratos deliciosos para a família e seus convidados, como o restante do arroz com o restante da carne, dá para fazer uma salada, farofa ou patê. Basta usar a criatividade”, conclui.

Itens com maior aumento de preço

– Arroz (33,49%)
– Cebola (48,37%)
– Azeitona em conserva (11,79%)
– Bacalhau (5,96%)
– Frango (10,45%)
– Batata inglesa (51,82%)
– Pães e biscoitos (8,55%)
– Mamão papaya (66,88%)
– Manga (26,17%)
– Abacaxi (23,52%)
– Maçã (22,13%)

Itens com menor aumento de preço
– Azeite (3,48%)
– Lombo suíno (2,84%)
– Vinho (1,61%)

Ainda de acordo com a pesquisa, o pernil suíno foi o único produto pesquisado pela FGV que teve queda de preço –de 1,26% – entre 2011 e 2012.

Fonte: Fundação Getulio Vargas (FGV)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *