Câncer de mama deve atingir mais de 52 mil mulheres em 2012

Os médicos reforça a importância da prevenção.

Segundo informações do Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2012, estima-se que o Brasil tenha 52.680 novos casos de câncer da mama, com um risco aproximado de 52 casos a cada 100 mil mulheres. O câncer de mama é hoje o mais comum nas mulheres, depois do de pele não melanoma. E é para reverter essa triste estatística que empresas, entidades e a população em geral se mobilizam no mês de outubro para alertar a todos sobre os cuidados e a importância do diagnóstico precoce.

De acordo com a oncologista Zaíra Medeiros, o câncer de mama está surgindo em pessoas mais jovens. “O câncer de mama vem sendo diagnosticado cada vez mais em pessoas jovens, e quanto mais jovens, maior a agressividade desse câncer. Por isso, é importante fazer o auto-exame em todas as idades, pelo menos uma vez ao mês e após os 40 anos fazer a mamografia anualmente”, afirma.

Dentre os sintomas da doença estão o nódulo palpável (caroço) no seio ou na axila, acompanhado ou não de dor mamária, ou alterações mais graves na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações, inclusive no mamilo, ou aspecto semelhante à casca de laranja e secreção no mamilo.

Outubro Rosa

Celebrado em diversos países mundo a fora, o Outubro Rosa é um movimento popular que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula empresas, população e entidades a participarem colorindo suas fachadas com luzes cor de rosa e colocando o símbolo da campanha, que é o laço da mesma cor.

Hoje, sabe-se que entre os vários tipos de câncer, o de mama tem grandes chances de cura, chegando a mais de 90%, quando detectado precocemente e o tratamento feito de maneira correta. Para isso, é fundamental a promoção da prevenção. “O Outubro Rosa tem como foco principal a prevenção do câncer de mama. Como tratamos pacientes com esse perfil, nos sentimos na responsabilidade de incentivar também a prevenção e o cuidado, para que, quando for diagnosticado qualquer tipo de câncer, o tratamento seja feito em seu estágio inicial melhorando os índices de cura. É dever nosso apoiar essa causa e incentivar ações preventivas e lembrar às mulheres de ficarem atentas não só ao câncer de mama, mas à qualidade de vida e aos fatores de risco que levam à essa doença”, ressalta a oncologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *