10 km: Brasil sai do 50º para o 7º lugar com Allan do Carmo

JOGOS SULAMERICANOS/NATACAOA prova de 10km (percurso olímpico) masculina de maratonas aquáticas confirmou o ótimo momento do Brasil nas maratonas aquáticas. Na prova desta segunda-feira, 22/07, Allan do Carmo, que no Mundial de Xangai 2011 foi 50º da distância, desta vez chegou em 7º lugar e chegou a estar em quarto na prova.

– Foi uma prova muito difícil, muito disputada, com os melhores do mundo. Foi um excelente resultado. Este era um objetivo, estar entre os 10 primeiros porque esta colocação daria a vaga para as olimpíadas se estivéssemos em 2015. Este é o resultado do trabalho que a gente vem fazendo com uma equipe inteira e só é possível graças ao Projeto Medalha do Ministério dos Esportes, os Correios, a Bahia Gás, o Projeto Faz Atleta e o Governo da Bahia . O objetivo é chegar em 2016 brigando entre os três primeiros. Estou feliz porque foi um grande resultado – disse Allan.

O grego Spyridon  Gianniottis (1h49m11s8) sagrou-se bicampeão dos 10km neste Mundial, seguido pelo alemão Thomas Lurz (1h49m14.5) e pelo tunisiano Oussama Mellouli (1h49m19.2). Diogo Villarinho, que vinha bem na disputa (8º na primeira volta, 5º na segunda e 24º na terceira) levou muitas pancadas, inclusive pelo chinês Lijun Zu, que já havia sido desclassificado por este motivo na primeira volta quando era o terceiro colocado, mas permaneceu nadando por um bom tempo, apesar da bandeira vermelha, e terminou na 52ª posição.

Na disputa em Barcelona, Allan do Carmo terminou a primeira volta em 32º lugar, na segunda subiu para o 21º, na terceira chegou ao quarto lugar e terminou em sétimo. Segundo ele, esta é uma estratégia e uma característica.

– Eu tento me segurar no início para descansar. Se você observar, muitos dos que ficaram entre os 10 primeiros, no início estavam longe. O vencedor estava atrás de mim. Isto é estratégia montada em cima da característica de cada um. O Mellouli  já gosta de ficar na ponta desde o início – analisou.

Também feliz com o resultado, o técnico Carlos Arapiraca contou o que fez Allan pular 43 posições em dois anos.

– Descobrimos que ele tem um problema grande com a hidratação. Ele se desidrata mais facilmente do que os outros atletas e foi feito um trabalho grande em cima disto com o doutor Blanco (José Blanco Herrera) e o Daniel (nutricionista Daniel Cady). É um trabalho multidisciplinar. Viemos muito bem preparados para os 25 quilômetros, que tem tudo para ser a nossa prova na competição – explicou.

O nutricionista Daniel Cady complementou que foram feitos exames muito específicos para detectar a dificuldade do atleta.

– Allan chega a perder mais de quatro quilos depois de um treino. Isso é muito, mesmo para um atleta de maratonas aquáticas. Fizemos exames muito específicos e hoje sabemos exatamente o que ele precisa fazer para competir e terminar bem hidratado. Minha função aqui é praticamente só tomar conta disso. Ainda preciso realizar mais exames, mas estou quase certo de que ele também perde mais sódio que o normal. Estamos atacando tudo isso e está dando resultado – disse.

Nesta terça-feira, 23/07, Ana Marcela Cunha e Poliana Okimoto voltam ao Port Vell para a versão feminina dos 10 quilômetros. As disputas dos 25 quilômetros feminina e masculina acontecem no próximo sábado, 27/07.

O Brasil participa do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos com recursos dos Correios – patrocinador oficial dos esportes aquáticos – ainda Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federal, Ministério do Esporte.

CBDA – Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *