Brasil cede empate para o Chile no Mineirão

No primeiro tempo, Neymar desperdiçou uma oportunidade de gol, depois de excelente jogada de Jean

No primeiro tempo, Neymar desperdiçou uma oportunidade de gol, depois de excelente jogada de Jean

O Chile, mais entrosado, não se intimidou com a torcida brasileira que lotou o Mineirão – cerca de 55 mil pessoas -, e deu trabalho à Seleção Brasileira nesta quarta-feira. O amistoso terminou em 2 a 2. A seleção visitante saiu na frente, o Brasil virou, mas sofreu o empate.

Os visitantes abriram o placar aos 8 minutos, com González, merecidamente, pois jogavam melhor. Quase fizeram o segundo, em oportunidade clara que Diego Cavalieri salvou com bela defesa, o que possibilitou ao Brasil, mesmo sentindo os efeitos da falta de entrosamento, partir para cima em busca do gol de empate. Aos 10 minutos, em uma falta frontal, Ronaldinho cobrou direto, mas o goleiro chileno fez boa defesa.

Em seguida, Jadson teve uma boa chance. Em jogada pela direita, bateu muito bem mas a  bola  cismou em bater na trave.

O gol do Brasil não demorou a sair. Em jogada de raça de Leandro Damião, Neymar cobrou o escanteio perfeito na cabeça de Réver. O zagueiro da Seleção subiu mais alto que o marcador e empatou. Ainda no primeiro tempo, Neymar desperdiçou uma oportunidade, depois de excelente jogada de Jean.

Para o segundo tempo, Felipão mexeu. Henrique entrou no lugar de Dedé e Pato substituiu Leandro Damião. E a virada veio logo no início: Ronaldinho recebeu e tocou de primeira para Jadson. O camisa 7 viu Pato livre pela direita. Um centroavante qualquer bateria direto para o gol, ainda mais vendo que o goleiro estava adiantado. Mas Pato esperou Neymar entrar livre na área chilena. O artilheiro do Brasil só empurrou a bola: 2 a 1 Brasil.

Minutos depois, Vargas deixou tudo igual no placar com um belo gol, em chute indefensável para Diego Cavalieri.

Osvaldo e Fernando também entraram no jogo nos lugares de Jadson e de Ralf, respectivamente.

Brasil: Diego Cavalieri, Jean (Marcos Rocha), Réver, Dedé (Henrique), André Santos; Ralf (Fernando), Jadson (Osvaldo), Paulinho e Ronaldinho; Neymar e Leandro Damião (Pato).

Chile: Johnny Herrera, Alvarez, Rojas, González, Eugenio Mena, Cortés (Muñoz), Braulio Leal, Reyes, Vargas e Patricio Rubio.

CBF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *