Conheça mais detalhes sobre as Hérnias e como tratá-las

Hérnia é a protusão, ou seja, o escape parcial ou total de um ou mais órgãos por um orifício que se abriu, seja por má formação ou enfraquecimento, nas camadas de tecido protetoras dos órgãos internos do abdome.

A protusão – ou seja, um escape parcial ou total de um ou mais órgãos por um orifício que se abriu – é classificada com base no local onde ocorreu.

Confira os tipos de hérnia:

  • Femoral: aparece como uma saliência pouco abaixo da virilha. É mais comum em mulheres do que em homens. Uma porção do intestino extravasa pela passagem que normalmente é usada pelos grandes vasos sanguíneos (a artéria e a veia femoral) quando eles passam pelo abdome até a perna.
  • Inguinal: aparece como uma protuberância na virilha. Uma porção do intestino “escapa” por uma área de fraqueza na parede abdominal chamada de canal inguinal. É mais comum em homens do que em mulheres.
  • Incisional: pode ocorrer por meio de uma cicatriz se você já tiver feito cirurgia abdominal.
  • Umbilical: aparece como uma protuberância na parte inferior do abdome. Ela ocorre quando o músculo ao redor do umbigo não se fecha completamente.
  • Epigástrica: ocorre na linha média do abdômen (Linha Alba), como resultado do afastamento dos músculos retos abdominais (dois músculos localizados na parte anterior e central do abdômen, acima do umbigo).

Sintomas

Frequentemente, a hérnia não apresenta sintomas. No entanto, se a abertura no tecido muscular e a protusão aumentarem, a dor pode ser contínua ou intermitente.

Esse desconforto pode ser pior quando faz esforço ou levanta objetos pesados e com atividades que pressionem a parte inferior do abdome, como esforço para evacuar, tossir ou, ainda, se a pessoa permanecer em pé por período prolongado.

A hérnia pode manifestar-se num momento, desaparecer espontaneamente e voltar a manifestar-se de novo. Às vezes, porém, ficam encarceradas, isto é, as alças intestinais não retornam à posição normal.

Quando isso acontece, há um bloqueio da circulação sanguínea na parte do tecido em que ocorreu a protusão, e assim provocar o estrangulamento da hérnia. Nesse caso, além da dor, surgem náuseas e vômitos. Na presença desses sintomas, procure imediatamente assistência médica.

Causas

Está relacionado ao enfraquecimento do tecido protetor dos órgão internos do abdômen, que pode ocorrer em consequência de um problema congênito ou pode estar associado a esforços físicos em demasia (exercícios físicos, gestação ou obesidade).

As hérnias podem já existir desde o nascimento, mas a protuberância pode ser imperceptível por muitos anos. Elas podem aparecer em bebês e crianças e isso acontece quando a membrana que cobre os órgãos abdominais não se fecha corretamente antes do nascimento.

Qualquer atividade ou problema médico que aumentem a pressão nos músculos e no tecido da parede abdominal podem causar uma hérnia, incluindo:

  • Constipação crônica;
  • Esforço para evacuar;
  • Tosse crônica;
  • Fibrose cística;
  • Próstata aumentada;
  • Esforço para urinar;
  • Peso em excesso;
  • Levantar muito peso;
  • Alimentação ruim;
  • Fumo;
  • Esforço excessivo;
  • Testículos não desceram.

Tratamento

O tratamento das hérnias é sempre cirúrgico. As hérnias não complicadas são tratadas eletivamente, isto é, cirurgias programadas. Essa herniorrafia consiste na recolocação do conteúdo novamente da cavidade abdominal e fechamento do orifício por onde houve a sua passagem, impedindo-se assim que essa hérnia volte a se manifestar.

Em alguns casos, é necessário realizar uma cirurgia de emergência. A cirurgia é o único tratamento que pode corrigir permanentemente uma hérnia. Entretanto, as hérnias menores que não apresentam sintomas algumas vezes precisam ser observadas.

Fonte: Blog da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *