Pedaços de carros são usados em Exposição para consciência no trânsito

Fotos e textura são usados para provocar consciência no trânsito 2

Fotos: Beto Oliveira/ Secom PMU

Sem corpos espalhados, mas com objetos como cacos de vidro e pedaços de carro no asfalto. Assim acontece a exposição “Texturas da Violência”, que é uma instalação montada pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settran) para despertar nas pessoas a reflexão sobre os riscos do trânsito, quando alguém não segue as regras. Placas de asfalto em um corredor, devidamente sinalizadas, orientam o público a chegar até a sala onde estão montadas as fotos, no segundo piso do Center Shopping (loja 1306). As pessoas são provocadas a interagir conhecendo os fatos, as histórias de cada vítima.

Fotos e textura são usados para provocar consciência no trânsito 3Tudo na sala provoca o visitante a sentir o mais próximo possível de um local de acidente. As fotos foram feitas por um fotógrafo formado em História e funcionário efetivo da Settran. Ricardo Borges buscou registrar com objetos deixados nos locais das ocorrências o drama do ambiente de um acidente de trânsito. As fotos foram fixadas em para-brisas danificados de automóveis envolvidos em acidentes. Dispostas em todos os lados da pequena sala, o visitante se vê envolvido no drama. “A gente, no local da ocorrência, não percebe estes detalhes. Com certeza isso impacta e faz a pessoa pensar, isso chama muito a atenção”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros, tenente coronel Itamar Caetano Filho.

Fotos e textura são usados para provocar consciência no trânsitoUma lente de óculos no asfalto revela a história de uma jovem de 22 anos envolvida em um acidente fatal. O atropelamento de uma senhora e os dois netos, vítimas de dois motociclistas que faziam racha na avenida do bairro, também estão na mostra. São trechos de histórias impactantes que levam cada visitante a pensar nas atitudes tomadas no trânsito. “É isso que a gente busca, fazer a pessoa refletir, igual a este caso [foto de uma embalagem de leite aromatizado de chocolate no asfalto] onde a motorista disse que se virou para ver se o filho estava com cinto de segurança. Foi apenas um segundo, mas que resultou em um grave acidente. Ela teve a intenção correta mas atitude errada, deveria ter parado o carro para olhar para a criança”, disse Divino Sousa, assessor de trânsito da Settran.

A instalação “Texturas da Violência” faz parte do trabalho de educação para o trânsito desenvolvido pela Settran. As fotografias, com o apoio do SESC Minas, já foram levadas para quase 20 escolas de Uberlândia com a participação de mais de 4 mil estudantes. Até o dia 25 de novembro ficará aberta ao público no Center Shopping – na área de lazer entre os cinemas e a praça de alimentação.

Secom PMU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *