Paciente diz que hospital esqueceu agulha em seu braço

Paciente alega que agulha ficou no braço dela. Ultrasson confirma presença de corpo estranho

O atendimento a uma paciente no Hospital Regional de Patos de Minas pode ir parar na Justiça. A servidora pública Maria Marli da Silva Alves Santos alega que os funcionários esqueceram uma agulha em seu braço. Os advogados da mulher vão entrar com pedido de indenização por danos morais e com uma liminar para que seja feita uma cirurgia de urgência para a retirada do objeto.

Santos disse que ficou internada um dia no Hospital Regional, após levar um tombo em casa no dia 09 de setembro. A servidora pública alega, no entanto, que o braço usado para a aplicação do soro passou a formigar depois que recebeu alta do hospital. “Eu não conseguia fazer os serviços de casa e nem sequer usar o relógio”, afirmou. Diante disso, a servidora decidiu procurar um hospital particular para descobrir o motivo do incômodo. Um ultrassom identificou a presença de um corpo estranho no braço da paciente.

Passando a mão com cuidado no braço de Maria Marli dá para perceber a presença do objeto. O médico que analisou o exame suspeita tratar-se de uma agulha. Ele orientou a servidora a fazer uma cirurgia para a retirada do objeto, antes que algo de mais grave aconteça. De acordo com a paciente, a agulha no interior do braço pode provocar uma trombose.

Os advogados Anderson Alexandre e Thiago Alves estão cuidando do caso. Eles informaram que entraram em contato com a direção do Hospital Regional em busca de uma explicação para o caso, mas não obtiveram resposta. Eles ainda afirmam que vão entrar com uma ação na Justiça com pedido de indenização pelos danos causados e pedir uma sindicância para apurar o que de fato ocorreu. Os advogados querem também que seja feita uma cirurgia de urgência para a retirada do objeto.

Em contato com o Hospital Regional, a Assessora de Gestão, Marli de Fátima Braga, informou que a Direção do Hospital não recebeu notícias de que a Sra. Maria Marli da Silva Alves Santos tenha retornado para receber atendimento e que os advogados não entraram em contato com a Direção do Hospital. Informou, também, que a paciente poderá retornar ao Hospital para ser avaliada e passar pelos  procedimentos necessários. A direção do Hospital comunica que o fato será apurado, para saber se houve falha e se realmente ela veio a acontecer dentro do Hospital Regional.

Farley Rocha/Patos Hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *