Mulher é presa em Uberlândia vendendo cágado pela internet

Previous Image
Next Image

info heading

info content


 

Uma mulher foi presa nesta terça-feira, 6, no Bairro Gravatás, em Uberlândia, por crime ambiental. Ela estaria vendendo pela internet um cágado, animal silvestre, portanto proibido de ser mantido em situação doméstica.

O filho dela foi quem fez o anúncio num site de vendas. Ele ganhou o cágado de um amigo, que capturou o animal em uma pescaria.

A Polícia Militar de Meio Ambiente (PMMA) recebeu denúncias cinco dias atrás, indicando um anúncio de venda de tartaruga em um grupo fechado de uma rede social. Imediatamente iniciou as investigações.

Após comprovado o anúncio, veterinários do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestre da Universidade federal de Uberlândia – LAPAS/UFU identificaram que tratava-se de um cágado.

Depois foi identificada a autora e o endereço dela, Rua Jupiá, Bairro Gravatás, zona Sul da cidade. Na casa da mulher de 39 anos foi constatada a veracidade da informação. Ela confessou que realmente estava vendendo o cágado por determinada quantia pecuniária.

A autora recebeu voz de prisão em flagrante por contrariar o artigo 29 da lei Federal 9605/98  “ Leis dos crimes ambientais”, por apanhar, expor à venda, manter a guarda do animal, transportar, e manter em cativeiro sem devida autorização expedida pelo órgão competente.

O animal foi encaminhado para LAPAS/UFU para avaliação, exames e tratamento se for o caso, para posteriormente ser reintroduzido em seu habitat natural.

Outro caso de venda de animais silvestres

Tartarugas antigoEste não é primeiro caso de prisão de autores comercializando animais silvestres na internet na cidade de Uberlândia/MG. Um homem de 34 anos foi preso em março de 2015 vendendo filhotes de tartarugas Tigre D’Água pela internet. Os animais foram capturados em um pet shop no Bairro Brasil.

 

CobrasEm outra ocasião, um homem foi preso no Bairro Santa Mônica que estava comercializando a chamada serpente do milho “corn snake”, que tem sua venda restrita a diversas condicionantes, mas em regra seu comércio é proibido no Brasil. Nesta ocasião dois filhote e outras duas adultas foram resgatadas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *