Funcionários da creche do Shopping Park paralisam atividades novamente por falta de pagamento

Imagens: Vinicius Lemos

Imagens: Vinicius Lemos

Os trabalhadores do Centro Educacional Irmã Odélcia Leão Carneiro, no Bairro Shopping, paralisaram mais uma vez as atividades na manhã desta terça-feira (19), por falta de pagamento salarial. A movimentação estava intensa do lado de fora. Os 28 funcionários da creche estão com os salários atrasados desde o dia 8 de maio. “Nossa paralisação é justo pelo pagamento. Porque a fundação não dá condicionamento de nada para nós”, disse a professora da creche, Fabiana Costa de Almeida.

Luciana Carlos trabalha com serviços gerais na instituição. ElaFuncionários paralisam atividades na creche do bairro Shopping Park 4 veio de Bambuí (MG), a 350 KM de Uberlândia há cerca de nove meses, apenas pelo emprego. Agora diz sofrer pela falta de pagamento. “Sem salário não dá pra continuar. Eu, por exemplo, dependo do salário daqui, porque eu não tenho outra renda. A gente está sem chão, o sindicato não quer dar apoio para a gente. Então está difícil, porque eu posso trabalhar. Eu posso ficar aqui trabalhando, porque eu tenho amor às crianças”, desabafou Luciana.

Funcionários paralisam atividades na creche do bairro Shopping Park 3Os atrasos se tornaram constantes em 2015, segundo os trabalhadores. A paralisação pegou pais de surpresa. “Já não é a primeira vez. Aí vêm uns e falam que está tudo normal. Ontem, por exemplo, divulgaram na mídia que estava tudo normal”, contou o pai de uma das crianças, Carlos Fernandes.

Funcionários paralisam atividades na creche do bairro Shopping Park 2

Mas ainda que incomode, a situação teve o apoio dos pais. Uma assembleia foi organizada pelo sindicato da categoria. A paralisação não havia sido comunicada oficialmente, o que poderia fazer o movimento perder a legalidade. O impasse, no entanto, era o prazo a ser esperado: 48 horas após o aviso ao poder público para que a paralisação ou uma possível greve voltasse a acontecer.  A maioria votou por aguardar até quinta-feira (21). Caso o pagamento não seja feito, haverá nova paralisação na sexta-feira (22).

A primeira paralisação dos funcionários

O impasse entre fundação maçônica e a prefeitura de Uberlândia veio à tona no início do mês quando duas creches, nos Bairros Shopping Park e Dona Zulmira foram paralisadas pela maçonaria.  A alegação era problemas no repasse à instituição. A Prefeitura, porém, diz ter feito os repasses e conseguiu uma liminar na justiça para manter as duas instituições educacionais abertas.

Informações Vinícius Lemos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *