BNDES aprova fundo para financiar economia verde

Investimento em debêntures será voltado para mercado de energia sustentável no País (Imagem: Marcelo Casal/Agência Brasil)

Investimento em debêntures será voltado para mercado de energia sustentável no País (Imagem: Marcelo Casal/Agência Brasil)

Nesta quarta-feira, 1°, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a criação do Fundo de Energia Sustentável, cujo objetivo é investir de forma ativa em debêntures de projetos de infraestrutura relacionados a uma economia de baixo carbono.

O Fundo terá patrimônio de R$ 500 milhões e vai funcionar por 15 anos. Esse será o primeiro parceiro da Climate Bonds Initiative no Brasil, uma iniciativa sem fins lucrativos que busca incentivar a criação de instrumentos financeiros de apoio a soluções para a questão das mudanças climáticas.

Além de criar um novo veículo de financiamento a projetos de infraestrutura, com possibilidade de ser replicado pelo mercado, o BNDES espera incentivar a criação de um mercado de títulos verdes no Brasil, aumentar a base de investidores em infraestrutura e incrementar a liquidez de títulos de infraestrutura.

O volume de emissões de debêntures de projeto deve chegar a R$ 3,8 bilhões, sendo R$ 1,7 bilhões em projetos de energia eólica, nos próximos 18 meses. A associação de infraestrutura com “títulos verdes” permite conjugar uma necessidade do Brasil de investimentos em infraestrutura, com um desejo global crescente de investimentos ambientalmente sustentáveis.

O mercado mundial de títulos verdes vem crescendo de forma mais acentuada nos últimos anos, os títulos emitidos atingiram a marca de US$ 36,6 bilhões em 2014, e pode atingir US$ 100 bilhões este ano.

Operação

O processo de seleção do gestor do Fundo deverá ser concluído até o fim de março do ano que vem. Após a estruturação e captação dos investidores, o fundo deverá estar pronto para inicar as atividades até julho. O edital de seleção do gestor para estruturação do novo fundo será publicado nesta sexta-feira, 2.

Portal Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *