Morre procurador-geral do Egito após bombardeio

Hisham Barakat levou seguidores da Irmandade Muçulmana ao banco dos réus (foto: EPA)

Hisham Barakat levou seguidores da Irmandade Muçulmana ao banco dos réus (foto: EPA)

Um atentado realizado nesta segunda-feira (29) no Cairo, capital do Egito, matou o procurador-geral Hisham Barakat, de 64 anos, peça-chave dos processos contra a Irmandade Muçulmana e seus seguidores.

Atingido por um carro-bomba enquanto passava em uma rua com seu próprio veículo, ele chegou a ser levado a um hospital da cidade, mas não resistiu a graves ferimentos nos pulmões e no estômago e morreu.

A ação foi reivindicada por um grupo terrorista ligado à Irmandade Muçulmana, colocada na ilegalidade pela Justiça egípcia. O atentado aconteceu às vésperas do segundo aniversário da deposição do então presidente Mohamed Morsi, em 3 de julho de 2013.

Após a queda, Barakat se tornou uma figura central nos processos contra o ex-mandatário e a Irmandade, levando ao banco dos réus milhares de apoiadores da organização.

Fonte: Ansa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *