Putin diz que sanções ameaçam paz na Ucrânia

Amigos do presidente russo Vladimir Putin foram atingidos por novas sanções (foto: EPA)

Amigos do presidente russo Vladimir Putin foram atingidos por novas sanções (foto: EPA)

Foi publicado no Diário Oficial da União Europeia (UE) nesta sexta-feira (12), o novo pacote de sanções contra a Rússia. As medidas atingem as áreas de finanças, energia e defesa. Elas preveem o congelamento de bens e proibições de viagens de cidadãos russos acusados de estarem envolvidos no conflito na Ucrânia.

Em Dushanbe, no Tajiquistão, onde participa do encontro de Cooperação e Organização de Xangai, o presidente russo Vladimir Putin afirmou que o novo pacote de sanções contra Moscou amaeaça o processo de paz na Ucrânia.

Gigantes petrolíferas russas, como Rosneft, Gazprom e a Transneft, que possui o maior oleoduto do mundo, estão proibidas de atuar no mercado financeiro europeu. Grandes empresas de outras áreas, como metalurgia, aeronáutica, aeroespacial e militar, também estão na mira das punições impostas pela UE. O pacote também inclui restrições sobre exportação de bens e tecnologia para uso civil e militar. Há também uma exigência que obriga uma autorização preventiva para a venda de tecnologias para a indústria petrolífera na Rússia.

A lista de personalidades atingidas pelas sanções possui nomes próximos ao presidente russo, Vladimir Putin, como o vice-presidente Youri Vorobiov e os vice-presidentes da Duma, o Parlamento russo, Vladimir Vasiliev, Ivan Malnikov e Igor Lebedev. Outro punido é Sergei Chemezov, amigo e ex-colega de Putin na KGB (antiga agência de serviços secretos da União Soviética) e presidente da RosTekhnologi, maior empresa russa na área de defesa.

O presidente da Duma, Serghiei Narishkin, criticou o novo pacote de sanções contra Moscou. Segundo ele, as medidas esta “fora da realidade”. Serghiei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, também afirmou que as sanções ameaçam acordo de paz na região leste da Ucrânia.

Crimeia da Ucrânia – O presidente ucraniano Petro Poroshenko prometeu retomar a Crimeia, dominada por rebeldes separatistas pró-Rússia desde março. Segundo Poroshensko isso não significa que serão usadas armas. O líder ucraniano mandou recado á população da região. “Estou certo que vencermos os desafios econômicos, democráticos e liberais para as preferências da Crimeia”, afirmou Poroshenko. Em polêmico referendo realizado na região em março, a maioria decidiu fazer parte do território russo.

Em entrevista coletiva em Kiev, Poroshenko anunciou que o parlamento vai ratificar na próxima terça-feira (16), um acordo de associação de livre troca com a União Europeia. “Um momento histórico”. Poroshenko viaja aos EUA na próxima semana, quando vai se encontrar com Barack Obama, presidente norte-americano.

Antes, o líder ucraniano fará uma visita ao Canadá, país que possui grande número de imigrantes do país.

Troca de prisioneiros – Pelo Facebook, o governo da Ucrânia anunciou mais uma rodada de troca de prisioneiros entre o país e os rebeldes separatistas. Segundo Kiev, 36 soldados foram libertadores, enquanto 21 rebeldes também foram soltos.

Uma resposta a Putin diz que sanções ameaçam paz na Ucrânia

  1. Moises Andrade disse:

    Putin Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *