Ministro da Educação esclarece atraso na divulgação do Ideb

Ministro da educação Henrique Paim (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Ministro da educação Henrique Paim (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O ministro da Educação, José Henrique Paim, justificou nesta quinta-feira (4) a demora na divulgação dos resultados mais recentes do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), relativos a 2103. Segundo Paim, o governo recebeu muitos recursos dos estados e municípios e vai avaliar os questionamentos antes de divulgar o índice, que é o principal indicador da qualidade do ensino no país.

“Este governo tem um DNA voltado para a questão da avaliação, para a divulgação de resultados. Tivemos um conjunto muito grande de recursos, 30% a mais. Nós queremos ter toda a segurança para divulgar esses números”, explicou, sem anunciar data para a apresentação dos dados.

O ministro ainda disse que a divulgação de resultados sem a revisão pedida pelos estados e municípios pode comprometer os gestores. “Vamos fazer isso com a maior segurança, porque, na verdade, o resultado do Ideb coloca em xeque a gestão dos estados e dos municípios, por isso a gente tem todo o cuidado em julgar os recursos e estar com os dados consolidados corretamente para divulgar”, justificou.

O Índice é divulgado a cada dois anos e, nas últimas edições, os dados foram apresentados entre junho e agosto.

Sobre o Ideb

Ideb foi criado em 2007, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), formulado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino.

O Ideb funciona como um indicador nacional que possibilita o monitoramento da qualidade da Educação pela população por meio de dados concretos, com o qual a sociedade pode se mobilizar em busca de melhorias.

Para tanto, o Ideb é calculado a partir de dois componentes: a taxa de rendimento escolar (aprovação) e as médias de desempenho nos exames aplicados pelo Inep. Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar, realizado anualmente.

Fontes: Agência Brasil, Ministério da Educação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *