Brasil e Rússia assinam acordos e defendem maior integração

Foto de arquivo de Dilma Rousseff com presidentes dos países dos BRICS durante cúpula do G20 na Rússia (foto: EPA)

Foto de arquivo de Dilma Rousseff com presidentes dos países dos BRICS durante cúpula do G20 na Rússia (foto: EPA)

A presidenta Dilma Rousseff e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, se reuniram nesta segunda-feira (14) com o objetivo de estreitar laços e aumentar o fluxo comercial entre os dois países. No Palácio do Planalto, os dois chefes de estado assinaram acordos de cooperação nas áreas de aviação civil, defesa e saúde. No encontro, também foi discutida a possibilidade de criação do banco dos Brics (grupo de países formado por Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul) e mudanças no Fundo Monetário Internacional. A reunião ocorre na véspera da Cúpula dos Brics, que se realiza em Fortaleza (CE) na terça-feira (15).

Em seu discurso, Dilma destacou o crescimento da parceria entre os dois países. Com os acordos, o fluxo comercial pode aumentar para US$ 10 bilhões. Em 2013, a corrente de comércio entre os dois países chegou a cerca de US$ 5,6 bilhões, segundo dados do Ministério da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior (Mdic). “Transmiti ao presidente Putin as inúmeras oportunidades que se abrem em energia e infraestrutura, áreas nas quais as empresas russas poderão aumentar sua presença no Brasil, especialmente em concessões de petróleo, portos e ferrovias”, disse, destacando que os novos acordos visam manter uma relação de longo prazo e de benefício mútuo.

A presidenta deu exemplo da área tecnológica como uma das que têm grande potencial de crescimento com a parceria, gerando uma maior autonomia dos países na área. “Os acontecimentos recentes demonstram ser essencial que busquemos, nós mesmos, nossa autonomia científica e tecnológica. Por essa razão, manifestei satisfação pela adesão da Rússia ao programa Ciência sem Fronteiras, bem como pela exitosa cooperação para instalação de estações do sistema russo de navegação por satélite, o Glonass, em território brasileiro”, afirmou.

Dilma também parabenizou a Rússia por ser o próximo país a receber a Copa do Mundo e lembrou que o Brasil ainda receberá os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Para Dilma, essas oportunidades podem resultar em um trabalho conjunto entre os países para troca de experiências em organização de grandes eventos esportivos.

A presidenta também se mostrou preocupada para que haja um maior esforço mundial na resolução dos problemas mundiais. Dilma defendeu que países detentores de liderança internacional, como Brasil e Rússia, atuem de forma integrada para buscar o crescimento dos povos.

“Reiteramos ser essencial atuação coordenada dos países na agenda do G20. Crescer e dar prosperidade aos nossos povos. O mesmo ocorre no que tange a ação ativa de Brasil e Rússia em todas as instituições internacionais, em especial nas econômicas, única maneira de tornar, por exemplo, o FMI um mecanismo realmente multilateral e democrático”, destacou, citando também a necessidade de acordos internacionais para promover a paz em zonas de conflito.

Relações que vem dando resultado

Ao tomar a palavra, o presidente Russo, Vladimir Putin, ressaltou o grande interesse do país europeu em desenvolver novas parcerias com o Brasil, um dos maiores parceiros do seu país na América Latina. Putin acredita que os acordos assinados vão ajudar a ampliar investimentos russos no Brasil. “Foi assinado um grande pacote de acordos institucionais e comerciais que estimulam nossa cooperação nas mais diversas áreas. Várias grandes companhias russas vão entrando no mercado brasileiro”, afirmou.

O presidente russo aproveitou a agenda dos Brics para fazer tour pela América Latina, região entre as prioridades da política externa russa. Ontem, Putin assistiu à final da Mundo, que será realizada na Rússia em 2018.

Fonte: Portal Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *