Farc diz que falta pouco para fechar acordo com governo colombiano sobre drogas

Começou nesta segunda-feira (12) em Havana, Cuba, um novo ciclo de conversações entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o governo colombiano. Essa é a 25ª rodada de reuniões da mesa negociadora, que se inicia com a expectativa de concluir agora uma solução para o problema das drogas no país – o terceiro item da pauta de negociações, em discussão desde novembro do ano passado. Antes de iniciar a mesa, as Farc declararam que estão “quase concluindo esse tema”.

“Estamos a três ou quatro parágrafos de resolver o quarto ponto da agenda [drogas] e terceiro em discussão”, afirmou o negociador da guerrilha, Jesús Santrich, em uma rápida conversa com jornalistas em Havana, Cuba.

O governo não deu declarações antes da reunião de hoje. O novo ciclo se inicia a duas semanas das eleições presidenciais no país, mas para as Farc “o processo eleitoral não deve interromper a vontade de paz dos colombianos e tampouco a negociação”.

Nas últimas semanas, a mesa de diálogo discute temas sensíveis e cruciais para o país, como os cultivos ilícitos e o narcotráfico. As Farc defendem ampliar o debate para uma solução global, embora o governo declare só ser possível, em Havana, discutir propostas locais, especialmente sobre substituição de cultivos ilícitos e permissão de plantio de coca, maconha e papoula para consumo medicinal.

No início do mês, a guerrilha enfatizou que não participa do narcotráfico e que “somente cobra impostos” dos produtores de cocaína nas áreas em que atua, respondendo a relatório do governo norte-americano.

Após concluir esse item da pauta, a mesa terá que analisar ainda a reparação das vítimas, desarmamento e reintegração de guerrilheiros e garantias para o cumprimento dos acordos firmados no pós-conflito.

Em conversação desde novembro de 2012, o processo pelo fim do conflito já chegou a acordos parciais sobre a questão agrária e sobre a participação política das Farc após a conclusão dos entendimentos pela paz. No entanto, cada item se conecta entre si, de maneira que só haverá fechamento das negociações depois da análise de todos os temas.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *