A dependência externa do Brasil incide na campanha eleitoral

uipi-_eleicoes-12052010SÃO PAULO – A questão da segurança pública no Brasil é vista pelo candidato José Serra como federal, e não estadual, por causa do envolvimento do tráfico de drogas e do contrabando de armas. A seu ver, o governo federal deve agir sem deixar o combate à violência crescente por conta dos estados.

Durante quase uma hora, José Serra participou de um bate-papo com o repórter Datena, em seu programa policial na TV Bandeirante, mas não demonstrou grande sensibilidade pela questão da segurança nas grandes cidades, onde o crime organizado trava com a polícia, muita vezes, um combate desigual, porque em vários estados a polícia está armada em condições inferiores aos criminosos.

O repórter provocou diversas vezes, mas Serra foi evasivo, deixando transparecer que nesse setor não vai propor nenhuma solução heterodoxa, ao contrário, por exemplo, do que já deixou claro que vai promover na economia: um amplo reajuste fiscal.

Serra elogiou o bolsa-família, que deu milhões de votos ao Presidente Lula, em sua reeleição, e prometeu que vai aprimorá-lo, como fez com o vale-transporte com bilhete único emitido pela então prefeita Marta Suplicy, na capital paulista.

Para dizer, em seu slogan, que o Brasil pode mais, é obvio que José Serra tem que fazer uma campanha partindo do que os governos FHC e Lula fizeram de efetivamente positivo, agregando qualidade ao que já está consolidado e políticas públicas inovadoras, dentro do espírito desenvolvimentista e com apelo eleitoral mais forte do que as propostas de Dilma.

Ambos necessitarão de programas e ajuste fiscal que atraiam pesados investimentos, e, nesse aspecto, os centros de poder financeiro mundiais terão papel decisivo, razão pela qual a campanha eleitoral naturalmente transborda para o exterior, aprofundando cada vez mais a dependência brasileira de um cenário internacional positivo para o próximo governo. Se for negativo, perderão tucanos, petistas e todos os brasileiros.

 

Fonte: ABN News/ Articulista colaborador da agência, Feichas Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *