MG: PM suspeito de matar jovem em boate é réu em outro caso

Um dos militares envolvidos na morte do universitário Cristiano Guimarães Nascimento em uma boate em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, responde como réu em processo sobre violência policial que tramita no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

No dia 2 de dezembro de 2009, o militar, de 28 anos, foi flagrado por câmeras do “Olho Vivo” agredindo e atirando contra uma pessoa durante uma abordagem na Pedreira Prado Lopes. “Ao realizar uma abordagem, praticou violência no exercício de sua função de Policial Militar, desferindo contra a vítima coronhada, socos e chutes. Logo após, realizou, sem qualquer justificativa, disparo de arma de fogo e, por fim, mediante violência obrigou a citada vítima a entrar em beco próximo, onde não foi possível realizar mais imagens”, cita o documento do processo de lesão corporal leve.

Ainda de acordo com o processo, julgado em Primeira Instância, a sentença apresentada contra o militar foi de 2 anos, três meses e doze dias de reclusão, além de onze dias-multa.

Segundo informações do TJMG,  o processo esteve em tramitação no órgão até setembro de 2015 e, depois, foi encaminhado para o Ministério Público Estadual (MPE).  Em contato com a reportagem, o MPE afirmou não ter encontrado o documento.

O soldado teve prisão preventiva decretada na segunda-feira (11), pela morte do jovem na boate, e está sendo mantido em um dos batalhões da Polícia Militar, junto com um outro militar, de 27 anos, que também teria envolvimento no crime.

Em nota 

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que todas as informações sobre o caso serão fornecidas pela Justiça comum e que a Corregedoria da PM “acompanha o caso e tomará todas as medidas cabíveis”. Ainda de acordo com a corporação, enquanto o processo judicial ao qual o militar responde não transitar em julgado, ele não poderá ser expulso da Corporação. “Tudo isso dependerá das provas carreadas nos autos. Cada caso é um caso e será sempre analisado pela Justiça e pela Administração Militar”, diz a nota.

O caso

O universitário Cristiano Guimarães Nascimento, de 22 anos, foi assassinado depois de uma briga em frente a uma boate, na avenida Londres, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, na madrugada da última sexta-feira (8). A Polícia Civil chegou até os militares depois de receber a informação, por meio de denúncia anônima, que uma arma havia sido encontrada perto do estabelecimento. Pela numeração, percebeu-se que pertencia ao policial, que acabou confessando estar envolvido na briga.

O militar contou que estava com um amigo, também policial. Eles disseram que a briga ocorreu por causa de um balde de bebida dentro da boate. As agressões, no entanto, ocorreram do lado de fora. Um terceiro suspeito está foragido.

O jovem teve várias lesões no corpo e morreu na hora. Um amigo dele, de 41 anos, foi socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal de Contagem. A ocorrência foi registrada na 7ª Delegacia de Homicídios de Contagem.

O Tempo

Uma resposta a MG: PM suspeito de matar jovem em boate é réu em outro caso

  1. Carmen disse:

    Esse cara é um monstro. E deve ter padrinho. Não vai acontecer nada com ele. Na policia tem mais marginais lá dentro que aqui fora. Qualquer marginal entra p policia. Tem muito traficante fardado eles são nojentos pessoas do mal. A cara dele condena. Covardes! Kd o outro? Vem me falar que eles não sabem onde está….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *