Brasil tem número alarmante de assassinatos de defensores de direitos humanos

Brasil tem número alarmante de assassinatos de defensores de direitos humanosBrasil tem número alarmante de assassinatos de defensores de direitos humanos em 2016. Os dados são de estudo da Ong Justiça Global. Os dados indicam ainda que pelo menos oito pessoas foram mortas no Brasil nos dois primeiros meses do ano. O estudo indica que esse número é superior aos levantados em países como México e Colômbia.
 
Em entrevista ao Revista Brasil, o pesquisador da ONG Justiça Global, Antonio Neto, explica que esses dados vem se repetindo nos últimos tempos no Brasil, mas o que chama atenção, segundo ele, é que foram muitos casos em pouco mais de dois meses e meio e se atribui isto ao não enfrentamento das causas estruturantes que levam essas pessoas a lutarem. O pesquisador revela que parte das vítimas são pequenos agricultores familiares que estão lutando pela terra, contra a implementação de grandes obras, como barragens, são lideranças sindicais que lutam pela sobrevivência.
 
“Os grandes latinfundiários e empresas que atuam no campo brasileiro não querem perder seus privilégios e causam essa situação tão grave atualmente e é isto que tem levado à vulnerabilização da situação dos defensores dos direitos humanos no Brasil. A maioria dos crimes se concentram nos estados do Norte e do Nordeste. Dos oito assassinatos, três são em Rondônia, três no Maranhão, um em Alagoas e um na Bahia.
 
“O problema é que os proprietários de terra encaram os territórios como o quintal de sua casa e querem apenas ganhar dinheiro com a exploração da terra sem preservar o meio ambiente. Por isto, os defensores de direitos humanaos semepre estão nesses impasses para defender o meio ambiente e garantir a sua sobrevivência”, explica.
 
Acompanhe esta entrevista ao programa Revista Brasil, com Fátima Santos, na Rádio Nacional de Brasília.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *