Mulher vítima – Chumbo Grosso relembra casos de mulheres assassinadas em Uberlândia

Mulheres assassinadasNo Dia Internacional da Mulher, o Chumbo Grosso, TV Vitoriosa e Portal Uipi fazem referência à data celebrada em todo o mundo, mas com uma diferença: com base em nossa linha editorial. Nesse prisma não há muito a se comemorar. Por isso hoje nós destacamos a mulher vítima, que paga com a própria vida uma violência desmedida e covarde.

Só pelo fato de ser contra a mulher, o Código Penal considera esse tipo de crime circunstância qualificadora do homicídio e o inclui na condição de crime hediondo. Mas o feminicídio é bem mais do que isso para quem perde um ente querido. Uma mulher na família…

Num dos casos que vamos relembrar, Bruna Thaísa, de 22 anos, foi a última vítima da violência que tirou vidas de mulheres em Uberlândia nos últimos 12 meses. E o que é pior: em quase todos os casos, sobressai a covardia, a crueldade que beira a barbárie. Bruna Thaísa estava grávida de dois meses e levou dois tiros no rosto.

Vários casos foram registrados nos últimos meses na cidade. Késia Freitas CardosoDeiviane da Silva MeloVeridiana Rodrigues Carneiro.

No Dia Internacional da Mulher, internacional mesmo é o conceito da impunidade para o feminicídio no Brasil. Dos casos de Uberlândia que relembramos hoje, por exemplo, nenhum dos autores está preso.

Contrariando o caráter festivo da data, mantemos o compromisso com a realidade cotidiana, da qual não se pode excluir a esperança – e o risco de quem deixou de ser sexo frágil na divisão de papéis sociais, para ser forte na estatística cruel, que não pára de crescer, da violência contra a mulher.

Fica o alerta de que nós trabalhamos em prol de relatar fatos na busca por justiça, por soluções para os problemas mal resolvidos, por dar esperança àqueles que perderam seus entes queridos de que eles não foram esquecidos pelas autoridades, e nem por nós.

Carlos Vilela

Uma resposta a Mulher vítima – Chumbo Grosso relembra casos de mulheres assassinadas em Uberlândia

  1. rayane disse:

    Porque não falaram da marcella alves ferreira que foi enterrada no dia da mulher no ano passado . E o autor esta na rua . Sinto sua falta e sei que quem fez isso foi um mostro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *