PC prende homem que matou e sacou dinheiro de idoso em GO

Latrocínio

Depois de matar o idoso João Gabriel e desovar o corpo, o autor sacou dinheiro da vítima

A Polícia Civil de Goiatuba apresentou o resultado das investigações que apuraram o latrocínio ocorrido no último dia 11 de agosto, na cidade de Panamá, no sul do estado, que teve como vítima João Gabriel de Souza.

As investigações iniciaram-se pelas imagens das câmeras de segurança de uma agência lotérica da cidade de Itumbiara onde se visualiza um homem realizando dois saques na conta corrente da vítima no dia de seu desaparecimento.

O sacador foi identificado como sendo José Divino Lopes da Silva, morador da cidade de Panamá. Na residência do suspeito, após busca judicial representada pelo delegado Gustavo Carlos Ferreira, a polícia encontrou o boné e uma camisa que foram identificadas como sendo as peças que o investigado utilizava quando realizou os saques.

O delegado representou pela prisão temporária do suspeito, que preso no dia 21.08, indicou o local, na zona rural de Panamá, onde abandonou o corpo.

O investigado só confessou o crime depois que a Polícia Civil apurou que os avós do suspeito teriam conhecimento que o neto praticou o crime.

José Divino confessou que matou o idoso com golpes de madeira na cabeça

José Divino confessou que matou o idoso com golpes de madeira na cabeça

José Divino disse atraiu a vítima para a residência ainda no dia 11.08, e golpeou a cabeça do idoso por várias vezes, utilizando-se de um pedaço de madeira (caibro).

Depois de matar João Galego, o investigado afirmou que foi até uma agência lotérica na cidade de Itumbiara e realizou dois saques na conta corrente da vítima, utilizando os cartões e número de senha subtraídos.

Voltou ao Panamá, e com o carro dos avós, transportou o corpo de sua residência até um local de difícil acesso na zona rural daquela cidade, onde o desovou.

O investigado ainda lavou o porta malas do carro, o quarto da sua residência onde matou a vítima, além de ter escondido o pedaço de madeira utilizado para golpeá-la. A Polícia Civil, entretanto, conseguiu apreender o carro e encontrar o instrumento do crime. Ambos foram encaminhados ao Instituto de Criminalística que comprovou a existência de sangue nos objetos.

O delegado Gustavo Ferreira aguarda resposta à representação pela quebra de sigilo telefônico do investigado e bancário da vítima, para que providencie o encaminhamento do inquérito policial ao judiciário, com o indiciamento de José Divino pelo crime de latrocínio que tem pena máxima de 30 anos de reclusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *