PC apresenta suspeitos de 2 homicídios em Patos

1HomicídiosA Polícia Civil apresentou nesta terça-feira (26) dois homens suspeitos de cometerem dois homicídios em Patos de Minas. Alisson Fernando Simão Paiva, 20 anos, conhecido como “Paianinho”, e Pedro Henrique Mendonça da Silva, 19 anos, teriam matado o pedreiro Marcelo dos Reis Rocha e Carlos Fernando de Oliveira, conhecido como “Paulista”. Segundo apontam as investigações, a segunda vítima seria o mandante do primeiro homicídio.

De acordo com o Delegado de Homicídios, Flávio Henrique, Alisson foi o autor dos disparos que tiraram a vida de Marcelo. Uma pistola 765 foi usada para disparar e matar o pedreiro que aguardava o amigo para seguir para o trabalho na manhã do dia 10 de outubro. Cerca de 8 tiros atingiram a vítima. O motivo seria desavenças anteriores e também devido a dívidas com o tráfico de drogas. Pedro era quem dirigia a moto no momento do crime.

Segundo a PM, os dois suspeitos tinham dívidas devido ao tráfico de drogas com Carlos Fernando. Para quitar os débitos e parar com as ameaças, a dupla ficou encarregada de matar Marcelo que possuía outras desavenças com Carlos Fernando. A execução do serviço aconteceu, mas as cobranças não pararam e o mandante passou a ser a vítima de Pedro. Com uma dívida de R$ 1300 referentes a drogas, ele acabou disparando e matando o credor.

O segundo homicídio aconteceu no dia 25 de outubro no Bairro Padre Eustáquio. Pedro teria descido de um carro e disparado contra Carlos Fernando que chegou a correr, mas morreu na porta de uma residência. O policial contou que a participação de Pedro neste crime está comprovada e os investigadores trabalham com a hipótese de outros participantes. Alisson não teria envolvimento neste assassinato.

Os dois devem aguardar a decisão judicial presos no Presídio Sebastião Satiro. Flávio Henrique ainda destacou que um novo pedido de prisão para Pedro será enviado à justiça nesta semana. Esse será pelo segundo homicídio praticado. De acordo com o Delegado Regional, Elber Barra Cordeiro, eles não confessaram os crimes, mas provas são suficientes para ser a apurada a autoria deles nos dois homicídios.

O delegado também aproveitou para esclarecer que não houve a participação de familiares, nem do amigo de Marcelo no primeiro homicídio, como foi ventilado no dia do crime. E por fim, ele ressaltou o número positivo de apurações de homicídios na cidade. Ele informou que as elucidações chegaram a cerca de 90% dos 23 homicídios registrados na cidade. “Apenas 3 estão ainda sem definição”, afirmou.

Patos Hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *