Cadelinha de estimação é envenenada em Patos de Minas

Fotos: Patos Hoje

Uma família de Patos de Minas, residente no Bairro Cidade Jardim, está indignada com a morte da cachorrinha de estimação. Nina como era chamada foi morta dentro de casa com um bife repleto de veneno. Uma faixa alertando os moradores sobre o crime foi estendida em frente à residência. A Polícia Civil começou uma investigação para descobrir quem teria jogado o veneno para o animal.

De acordo com a proprietária de Nina, uma funcionária pública que preferiu não se identificar, chegou na casa no último domingo e encontrou a cadelinha da raça basset já estendida no chão. Sem saber o que havia acontecido, Nina foi levada ao veterinário para descobrir a causa da morte. Um bife de 10 cm ainda cru foi encontrado no estômago do animal. “A quantidade de veneno foi tão grande que nem houve digestão”, afirmou a funcionária.

Ela, o marido e o filho estão sentindo muito a falta da cachorrinha. Indignados, eles querem encontrar o responsável para evitar que isso aconteça outra vez. Ela contou que todos adoravam a cadelinha e algo grave poderia ter acontecido ao filho de apenas 6 anos, caso ele tivesse manipulado a carne envenenada. Segundo a servidora, Nina estava com a família há dez anos e nenhum vizinho tinha reclamado do animal. “Ela só ficava em casa e não saía desacompanhada dos donos. Foi muita crueldade”, desabafou.

A dona informou que, apesar de certa a morte por envenenamento, provavelmente por chumbinho, um exame toxicológico foi solicitado para comprovar o crime. A suspeita é de que alguém tenha se incomodado com o latido do animal e a matado. Os policiais praticamente descartaram a hipótese de que tenha sido algum bandido querendo furtar a residência. “A cadela não chegava a intimidar para ser necessária a morte”, relatou.

Ela contou que isso trouxe muito sofrimento para toda a família e quis dar publicidade ao fato para que ele não aconteça mais. “Quando viu a cachorrinha morta, meu filho chegou a querer ressuscitá-la”, contou ainda sentindo muito a covardia com o animal. “Se estivesse incomodando, poderia ter reclamado que a gente tomaria providência”, justificou.

Por Farley Rocha / Patos Hoje

7 respostas a Cadelinha de estimação é envenenada em Patos de Minas

  1. QUE LIXO disse:

    É MESMO NECESSARIO FAZE UMA REPORTAGEM RIDICULA DESSA? TEM MUITA COISA MAIS INTERESSANTE QUE ISSO POR AI

    • Solidarinosk disse:

      É lamentável esbarrar num comentário insensível como este!
      Por certo de quem não nunca teve o privilégio de sentir o reconhecimento e a alegria de conviver com uma criaturinha que é mais companheira e leal que muito “bicho homem” por ai. Concordo é claro, que existem muitas coisas graves e continuamente sem solução no nosso país; mas a família em sua dor, fez bem em denunciar e alertar a covardia!
      O Uipi está de parabéns pela reportagem se distinguindo do lugar comum, pois ao lermos a matéria em todas as letras, perceberemos quantas implicações estão lá envolvidas. Cadastrei-me no site exclusivamente para solidarizar-me com as duas iniciativas!

    • Adriana disse:

      Se não tem o que falar não manifeste sua opinião escrevendo atrocidades dessa forma.

    • Adriana disse:

      Se não tem o que falar não manifeste sua opinião escrevendo atrocidades dessa forma.

  2. INDIGNADA disse:

    Lixo é você,seu OTÁRIO! Respeite os sentimentos dos outros. E o animal tem VIDA, como nós, e sentimentos da mesma forma! LIXO!! RIDÍCULO!

  3. Indignação Total disse:

    Certamente o comentário teria mesmo que partir de uma pessoa que se identifica como LIXO… e se forem investigar talvez tenha algo a dizer sobre o que fizeram com a cadelinha, será que não?
    Talvez possa estar tentando justificar…

  4. silvana de souza disse:

    Muito triste essa situação, extremamente desnecessário uma atitude assim. Tenho pena dessas pessoas que não sabe o que é o amor de um animal. E quanto a vc que acha a reportagem um lixo, vai se tratar. Lamento pela familia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *