Caso Dijeniffer: Luismar é condenado a 26 anos de prisão

170811_CG_ADVOGADO_LUIZMAR_UIPI__1__0001

UBERLÂNDIA, TRIÂNGULO MINEIRO – Depois de 12 horas sentado no banco dos réus do Fórum Abelardo Penna, em Uberlândia, o comerciante Luismar Balbino da Silva foi condenado a 26 anos, três meses e 10 dias em regime fechado. O acusado responderá pelos crimes de homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado, cometidos contra a garota Dijeniffer Aparecida da Costa em 2009.

Após as argumentações da defesa e da promotoria, réplica e tréplica, o Conselho de Sentença se reuniu e depois de 40 minutos apresentou os votos ao presidente do Tribunal do Júri, Dimas Borges. A família do acusado contesta a decisão da Justiça e afirma que não irá desistir de provar a inocência de Luismar, que só foi absolvido do crime de ocultação de cadáver.

O advogado de defesa, Paulo Roberto Lima Mota, diz respeitar a decisão do júri, mas irá buscar todos os recursos necessários para amenizar a pena de Luismar, que é soro positivo e talvez poderá ser um dos argumentos utilizados pelo advogado. “O júri é soberano, compete à defesa agora, no nosso inconformismo, entrar com os recursos que devemos impetrar”, disse o advogado.

Na saída do fórum, Luismar foi escoltado pela polícia e indagado pela imprensa sobre a decisão, ele contestou: “Eu quero justiça! Eu quero justiça! Porque eu não devo essa crueldade”.

Representando a família que há mais de dois anos está aflita, a irmã de Dijeniffer disse estar aliviada com o veredito. “Estou satisfeita. Não sou ninguém para julgar ninguém, mas eu só queria justiça para a minha irmã, mais nada”, desabafa.

Redação Uipi!/ Caroline Aleixo

Imagem: TV Vitoriosa

{qtube vid:= E6lspDQ8CDQ}

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *