Paciente morre na UAI Martins por causa de equipamento quebrado

Leandro Vitorino, filho de paciente que morreu na UAI

Leandro Vitorino, filho do paciente Lindomar, que morreu na UAI Martins

Um paciente da Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do Bairro Martins, em Uberlândia, morreu na manhã desta quarta-feira, 23, por falta de equipamento de ventilação, auxílio respiratório, e a morte acabou virando caso de polícia.

O vendedor autônomo José Lindomar dos Santos, de 57 anos, deu entrada na UAI na tarde de terça-feira, às 15h30, com um problema no coração. Ele já tinha, inclusive, a transferência para o Hospital de Clínicas da UFU garantida, mas acabou morrendo por volta de 10h30 de ontem.

O que chama a atenção é que um médico que atendeu ao paciente acionou a Polícia Militar (PM) e fez um boletim de ocorrência devido à falta da rede de suporte respiratório para os pacientes. A que existe no local está inoperante há uma semana. Segundo o médico, o conserto já havia sido solicitado uma semana atrás.

O paciente estava em estado de emergência cardíaca, pois teve uma parada respiratória. No entanto, a unidade estava sem ar comprimido. O cardiologista preferiu não gravar entrevista, mas disse que José Lindomar morreu após o rompimento de uma artéria.

Ele relata que o paciente poderia ter morrido mesmo com o equipamento de ar comprimido funcionando, mas fez o boletim devido à precariedade da estrutura do local.

José Lindomar foi velado numa funerária do Bairro Brasil e sepultado durante a tarde dessa quinta-feira, 24, no Cemitério Campo do Bom Pastor.

O filho dele, Leandro Bernardo Vitorino lamentou tantos problemas e a falta de cuidado com o pai. “Ele teria que ter sido transferido no mesmo dia que foi internado, na terça-feira, assim que ele chegou, … porque a UAI estava com equipamento quebrado. E eles não transferiram ele. Deixaram ele ficar até no outro dia.”

O Médico que entrou no plantçao teria relatado à família a urgência de transferência do paciente para ser submetido a uma cirurgia. “Infelizmente levou ele para a sala de emergência, mas já era tarde. Ele não resistiu, por causa do equipamento estragado”, disse Leonardo.

Em nota, a Prefeitura de Uberlândia informou por meio da Secretaria de Saúde e a Fundasus, que segundo o relato do médico, o paciente apresentou parada cardiorrespiratória, e foram prontamente iniciadas as medidas e manobras de ressuscitação. O paciente apresentou reversão após a primeira dose de adrenalina, porém manteve instabilidade clínica sem condições de transporte o que evoluiu para óbito.

Informou ainda que, “desde que o compressor de ar foi quebrado a Fundasus se empenhou no conserto, e hoje (24) o aparelho voltou a funcionar.” E complementa: a Fundasus está instalando medidas de verificação, junto à coordenação da UAI Martins, para apurar qual era a situação clínica do paciente mediante análise do prontuário e qual foi o atendimento dispensado. Caso necessário prestará futuros esclarecimentos.

Vinícius Lemos

3 respostas a Paciente morre na UAI Martins por causa de equipamento quebrado

  1. Silvana disse:

    Nossa esperaram o paciente morrer para depois consertar o aparelho, que falta de respeito com o ser humana.

  2. Alves disse:

    Agora que virou caso de polícia e teve repercussão na mídia vem esses gestores de M incentar história. O medick fez muito bem e fazer o BO? Pois a culpa sempre e dos profissionais da saude

  3. William Santos Fonseca disse:

    No Brasil é sempre assim depois que morre é que vem a solução , em todos os sentidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *