Hemocentro destaca necessidade de doação de sangue em época de frio

Hemocentro destaca necessidade de doação de sangue em época de frio

Hemocentro destaca necessidade de doação de sangue em época de frio

No Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado hoje (14), o Hemocentro da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) alerta para a necessidade de doações nesta época do ano, quando o número de doadores costuma cair por causa das baixas temperaturas. O hemocentro supre os bancos de sangue do Hospital São Paulo e de outros da região. A principal dificuldade é conseguir sangue do tipo O ou Rh Negativo.

“A doação cai demais nessa época do ano porque as pessoas ficam resfriadas e têm dificuldade para sair de casa, com a temperatura baixa. E tem também as férias de julho. As épocas de maior crise para a doação de sangue são Carnaval, inverno e final de ano”, disse a coordenadora do setor de doação do Hemocentro, Maria Angélica de Camargo Soares.

Podem doar sangue pessoas com idade entre 16 e 70 anos, com mais de 50 quilos, saudáveis e sem antecedentes de risco para transmissão de doenças como hepatites e Aids. Em São Paulo, para doar sangue, basta ir ao Hemocentro, na rua Diogo de Faria, 824, com um documento oficial com foto, de segunda a sexta-feira das 8h às 17h30 e aos sábados das 8h às 13h. É preciso não estar em jejum.

A médica destacou que todos os exames necessários para avaliar a qualidade do sangue doado são feitos, mas é preciso que o doador tenha consciência de que a doação não é um check-up. “Isso não é um atestado de saúde. Ao contrário, a pessoa tem que estar bem para doar. Nós vamos proteger as pessoas que estão doando, mas temos que pensar na pessoa que vai receber”.

Ela explicou que, antes da doação, é feita uma entrevista na qual o doador informa sobre tratamentos médicos e comportamento de risco. Maria Angélica ressaltou também que homens podem doar a cada dois meses, quatro meses por ano e a mulher a cada três meses, três vezes por ano. “São coletados 450 ml, o que não faz mal nenhum. Isso é recuperado rapidamente pelo organismo”, disse.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *