Começa o primeiro Liraa de 2016 em Uberlândia

A Secretaria Municipal de Saúde começou nesta segunda-feira (11) o primeiro Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2016. Cerca de 170 agentes de controle de zoonoses vão visitar 11.652 imóveis de Uberlândia até a sexta-feira (15).

O levantamento é uma ferramenta para identificar os domicílios com focos de reprodução do Aedes, onde estão esses focos e quais os tipos de criadouros mais encontrados para orientar os trabalhos para que Uberlândia continue fora do cenário de epidemia que acometeu várias cidades de Minas Gerais.

Este primeiro LIRAa acontece em abril de acordo com as diretrizes da Secretaria Estadual de Saúde. Geralmente, o levantamento acontece em janeiro, março e outubro, mas a orientação no começo do ano foi para que os agentes de zoonoses focassem nas visitas domiciliares.

É importante que a população facilite o acesso aos domicílios procurados e acate as orientações oferecidas. O agente de controle de zoonoses pode ser identificado visualmente pelo uniforme e crachá com a identificação do órgão.

Metodologia

Quarteirões de todas as regiões do município são sorteados para a visita. A amostragem é de 20%, ou seja, a cada casa visitada, quatro são puladas. Se o dono da casa não atende, passam para as casas vizinhas até alguém atender. Somente quando uma casa é vistoriada, que começa a contagem de quatro casas sem chamar.

Parceiros

A antecipação das ações do município no controle dos focos do mosquito e de conscientização da população foi a diferença para manter Uberlândia fora do cenário de epidemia. Ainda em 2015, a Prefeitura Municipal de Uberlândia contratou 100 agentes de zoonoses e realizou ações de mobilização nos bairros para chamar a população a fazer a sua parte.

Este ano, além da participação de 435 oficiais numa força tarefa em fevereiro no bairro Santa Mônica e do reforço de cerca de 40 militares nas visitas domiciliares junto aos agentes de controle de zoonoses, 40 novos agentes foram contratados em março.

As ações de combate ao Aedes aegypti na indústria e no comércio continuam com os comitês de mobilização para controlar os focos do mosquito no local de trabalho e na casa dos funcionários e colaboradores. Essa ação foi reforçada com reuniões realizadas com os dirigentes da FIEMG e do Sistema SESI em Uberlândia.

O Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) Campus Uberlândia-Centro também mobiliza seus alunos. O material foi utilizado para uma exposição, em que dados da dengue, chikungunya e zika vírus são apresentados junto aos materiais, para mostrar o por quê de a mobilização ser importante.

Em abril, uma parceria da Prefeitura com a Diocese de Uberlândia uniu os fiéis de 11 paróquias num mutirão para recolher lixo, entulho e materiais reciclados de quintais e terrenos baldios visando eliminar os focos do mosquito Aedes aegypti. A ação fez parte da mobilização social para enfrentar o avanço da dengue e de outras doenças transmitidas pelo mosquito. Uma carreata para o ecoponto mais próximo de cada paróquia após o mutirão marcou o fim da ação.

Nos territórios da atenção básica, as visitas domiciliares contam com os mais de 400 Agentes Comunitários de Saúde, juntamente aos Agentes de Controle de Zoonoses territorializados, com um agente de zoonoses em cada Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF).

Além das visitas domiciliares em cada território das UBSFs, a Prefeitura de Uberlândia também está mobilizada por meio de ações de conscientização das secretarias de Educação, Saúde, Meio Ambiente, Comunicação Social, Serviços Urbanos, Obras, Desenvolvimento Social, entre outros, em suas atividades diárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *