Tremor de 6,4 na escala Richter atinge região norte

Tremor de terra em ManausA repórter do Radiojornalismo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Bianca Paiva, estava em casa em Manaus (AM), na última terça-feira (24) a noite quando começaram os tremores de 7,4 na escala Richter que tiveram como epicentro a Amazônia Peruana e refletiram até esta quinta-feira (26), em Tarauacá (AC). A cidade registrou hoje uma abalo de 6,4 na escala Richter, segundo o Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília (UnB).

Hoje e ontem, o Observatório Sismológico da UnB também registrou tremores menores que 6 na escala Richter. O sismo de 7,4 registrado na terça-feira ocorreu na fronteira entre o Peru e o Brasil e foi sentido por moradores de cidades do Acre, como Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Sena Madureira, Xapuri e Santa Rosa do Purus. Os abalos também foram sentidos em Rondônia e Manaus.

“Estava lendo um livro na minha cama, senti a cama balançar, mas não dei muita importância. Depois balançou de novo, daí chamei meu marido, mas ele não acreditou, pois não tinha sentido nada. Daí, o apartamento balançou mais uma vez. Vários colegas de Manaus saíram de seus apartamentos comentando que tinham sentido o prédio balançar”, disse Bianca.

O tremor de hoje (26) em Tarauacá (AC) foi consequência dos abalos da terça-feira (24), sentidos por Bianca há vários quilômetros de distância do epicentro do sismo no Peru, que geraram outros tremores menores até esta quinta-feira. De acordo com o professor do departamento, George Sande, os fenômenos são comuns na região. “A região entre o leste do Peru e um pedaço do Acre está sobre influência da placa sul-americana e placa Nazca, por isso cidades da região podem sentir os abalos sísmicos”, explicou.

O subtenente do Corpo de Bombeiros do Acre, Luiz Gonzaga Ribeiro, explicou que os tremores sentidos na Região Norte desde a última terça-feira não provocaram danos. “Não temos conhecimento de vítima ou abalo no tremor de hoje em Taraucá, nem nos que ocorreram na última terça-feira. Na quarta, fizemos vistorias que comprovaram que não houve vítimas ou abalos em prédios ou residências”, explicou.

Ribeiro disse que na terça-feira, houve um certo “nervosismo” em várias partes do Acre, principalmente em faculdades. “As pessoas sentiram várias edificações tremerem e também mal estar como tonturas devido ao fenômeno. Recebemos várias chamadas. Temos conhecimento de relatos em Rondônia e Manaus também”, disse o subtenente.

Os tremores iniciais da terça-feira tiveram início na região de Madre de Deus, na Amazônia Peruana e puderam ser sentidos a 581Km da capital, Lima. Além de cidades peruanas, o Norte do Brasil, regiões da Argentina, Chile, Colômbia e Venezuela também sentiram os abalos sísmicos.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *