Ursa mata turista em Yellowstone e é sacrificada

Ursa matou turistaursa que matou e se alimentou de um andarilho no Parque Nacional de Yellowstone, no estado norte-americano de Wyoming, foi sacrificada.

O animal foi encontrado poucos dias depois do ataque, que ocorreu em 7 de agosto, graças à compatibilidade de um exame de DNA feito com os restos da vítima, o turista Lance Crosby, de 63 anos.

Segundo os funcionários do parque, sacrificar a ursa foi uma questão de segurança pública, e a decisão foi tomada porque o mamífero não apenas matou o homem, mas também se alimentou de parte de sua carne e guardou um pouco dela para outro momento. “Normalmente, ataques por parte de uma ursa que defende seus filhotes não incluem o consumo do corpo da vítima”, explica uma nota oficial de Yellowstone.

Para os ursinhos, que muito provavelmente se alimentaram do andarilho com a mãe, foi determinado que eles serão transportados para um aquário e um zoológico dos Estados Unidos.

O sacrifício do animal já estava previsto há cerca de uma semana, caso o DNA encontrado fosse compatível com o de Crosby. Por isso, o parque recebeu vários emails e telefonemas indignados, principalmente de ambientalistas, que exigiam um fim menos radical para o bicho e ressaltavam que a culpa era toda do turista, que estava fazendo uma excursão sozinho e não levava consigo um spray anti-urso.

De acordo com as autoridades do parque, é aconselhável sempre realizar trilhas e passeios em grupos de três ou mais pessoas e ter um spray de precaução, além de fazer barulho em todo o caminho e manter uma distância de ao menos 100 metros para animais selvagens considerados perigosos.

Ansa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *