Anatel descarta “apagão” da TV aberta com desligamento de sinal analógico

sinal de tv analógicoO conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Antel) Rodrigo Zerbone Loureiro disse hoje (2), durante audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, que o cronograma de desligamento do sinal de TV analógico será alterado caso pelo menos 93% das residências não tenham acesso ao sinal digital, até novembro, quando está previsto o início da transição.

Zerbone descartou a possibilidade de haver um “apagão” da TV aberta por conta da transição. “Não vai haver apagão, até porque se por algum motivo em alguma dessas localidades não for alcançado o percentual [de 93%], o sinal [analógico] não será desligado até que ele seja atingido. Não existe possibilidade de ter apagão ou de muitas pessoas ficarem sem acesso a TV digital. A gente não trabalha com essa hipótese”, disse o representante da Anatel.

O presidente da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), Luiz Claudio Costa, no entanto, discorda da expectativa da Anatel e acredita que o apagão pode ocorrer. Durante a audiência que debateu a transição do sistema de TV analógico para o digital, ele disse que o país ainda não está preparado para o fim dessas transmissões. Segundo ele, a implementação do sinal digitalizado da forma como está programado poderá provocar um “apagão” da TV aberta.

O conselheiro da Anatal, no entanto, reiterou que a transição será gradual. “Em cada local a ser implementado o sinal digital será feita uma pesquisa algum tempo antes do desligamento [do sinal analógico], de forma que a gente consiga ver se foi atingido os 93% ou não. Isso [o desligamento] será progressivo, começando em Rio Verde e terminando no final de 2018”, disse Zerbone.

Conforme o calendário estabelecido pelo governo, a primeira cidade a ter o sinal de TV totalmente digitalizado será Rio Verde, em Goiás, a partir de novembro deste ano. O desligamento, no entanto, será feito a partir de abril do ano que vem, no Distrito Federal e em mais 11 cidades do entorno da capital.

Conforme o cronograma de transição, que vai até 2018, as emissoras de TV são obrigadas a veicular comerciais na programação local para alertar sobre a necessidade de adequação dos equipamentos para a mudança ao sinal digital.

Ansa Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *