Papa Francisco anuncia Ano Santo extraordinário

Imagem: Francisco dedicará Ano Santo à misericórdia (foto: ANSA)

Imagem: Francisco dedicará Ano Santo à misericórdia (foto: ANSA)

O papa Francisco anunciou nesta sexta-feira um Ano Santo (Jubileu) extraordinário, dedicado à misericórdia, durante um rito penitencial realizado na basílica de São Pedro, no Vaticano.

 O período compreenderá os dias entre 8 de dezembro de 2015, data do aniversário de 50 anos do fim do Concílio Vaticano II, e 20 de novembro de 2016. Ele começa com a abertura da Porta Santa, também em São Pedro, e sua convocação será publicada em 12 de abril, domingo da Divina Misericórdia.

 Tradicionalmente, esse rito é realizado a cada 25 anos. O último foi em 2000, portanto, o próximo deveria ser apenas em 2025. No entanto, um Pontífice pode convocar tal celebração por razões extraordinárias.

 O Ano Santo é um período em que a Igreja Católica concede graças espirituais aos fiéis, como a expiação dos pecados. Segundo a tradição, esse é um tempo em que é mais fácil para o cristão alcançar as bençãos de Deus. Ele também é uma espécie de chamado para que os que estão afastados da Igreja retomem sua vida religiosa.

 A tradição foi iniciada com Bonifácio VIII, em 1300, com um jubileu a cada século. No entanto, para permitir que cada geração pudesse viver ao menos um Ano Santo, esse número foi sendo reduzido ao longo do tempo, até chegar aos 25 anos atuais. Até hoje, foram celebrados 26 Anos Santos ordinários.

 “Não esqueçamos que Deus perdoa a todos e Deus perdoa sempre, não nos cansemos de pedir perdão, enfrentemos o nosso caminho penitencial com coração aberto, durante um ano, prontos a receber a indulgência de Deus, a receber a misericórdia de Deus”, disse Francisco.

 A convocação ocorreu no mesmo dia do segundo aniversário da eleição de Jorge Bergoglio como Papa e em que ele confessou “sentir” que seu Pontificado será “breve”. Com esse Ano Santo extraordinário, Francisco deixa claro sua intenção de levar a Igreja a continuar as reformas iniciadas com o Concílio Vaticano II, quando foram feitas uma série de aberturas na doutrina católica.

Fonte: Ansa Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *