Feira Nacional de Artesanato em Belo Horizonte traz diversas opções para as compras de Natal

Imagem: Este ano, a expectativa é que cerca de 200 mil pessoas compareçam ao Expominas para a feira. Leonardo Horta/SEDE

Imagem: Este ano, a expectativa é que cerca de 200 mil pessoas compareçam ao Expominas para a feira. Leonardo Horta/SEDE

Quem ainda não comprou os presentes de Natal terá uma excelente oportunidade de adiantar as compras e presentear parentes e amigos com artesanato tipicamente brasileiro. Com o tema “Festas Populares do Brasil”, a 25ª edição da Feira Nacional de Artesanato foi aberta ao público nesta quarta-feira (03) e vai até domingo (07), no Expominas, em Belo Horizonte. O evento é considerado um dos maiores da América Latina no segmento artesanal.

Este ano, a expectativa é que cerca de 200 mil pessoas compareçam ao Expominas. A Feira Nacional de Artesanato tem registrado média de R$ 90 milhões em negócios realizados por ano nas últimas edições. A programação conta com exposição do artesanato de todas as regiões do Brasil e de outros países, além da realização de oficinas com papel reciclado, bordados e tear, e de apresentações cenográficas e culturais que serão realizadas paralelamente às outras atividades.

O evento tem o apoio institucional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), por meio da Superintendência de Artesanato, Cooperativismo e Apoio ao Setor Terciário, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae-MG), Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) e o Centro de Artesanato Mineiro (Ceart/MG).

A Sede, em conjunto com as instituições parceiras, ocupa uma área de aproximadamente 650 metros quadrados na feira, destinada à divulgação, promoção e comercialização do artesanato mineiro, proveniente de todas as regiões do Estado.

Estímulo para o setor

Para uma das expositoras, a artesã Sandra Veloso, “a expectativa é vender todo o material exposto e receber encomendas para serem entregues depois do evento”. Ela representa um grupo de artesãos de Mariana, região Central de Minas Gerais, que produz e comercializa panelas e utensílios domésticos artesanais.

O grupo, que vive em uma comunidade rural, foi atendido por programas estaduais de reforma agrária e atualmente tem o artesanato como principal forma de subsistência. É a primeira vez que Sandra participa da Feira Nacional de Artesanato, mas, juntamente com os vizinhos e familiares artesãos, já participa há alguns anos de outras feiras regionais e locais.

Já o artesão Arnaldo Rodrigues, que produz miniaturas em madeira de carros e motos, acredita que o ponto mais positivo desta feira é o contato com lojistas e revendedores. Além das vendas dos objetos expostos no estande, ele distribui cartões de visitas e espera concretizar vendas no atacado nas semanas seguintes à feira realizada no Expominas. “Esta exposição ajuda muito no contato com lojistas e nas vendas por atacado”, afirma ele.

Morador de Couto de Magalhães de Minas, na região Central, Arnaldo diz que espera “fazer bons negócios durante o evento e vender tanto quanto nas edições anteriores, talvez até superar o volume negociado”. Esta é a sexta edição consecutiva de que ele participa.

Transporte facilitado para o público

Uma novidade da feira este ano são as novas opções de transporte público disponíveis para o público que for ao evento. Os visitantes têm disponíveis as linhas do Move que passam pela Avenida Amazonas, partindo do centro de Belo Horizonte. Além disso, existe a opção do metrô, que conta com uma estação há poucos metros do Expominas.

Para facilitar ainda mais o conforto dos visitantes, a Feira Nacional de Artesanato criou o Espaço Criança, que oferece diversas atividades recreativas infantis, com objetivo de ocupar os filhos pequenos enquanto os pais vão às compras nos estandes do evento.

Serviço: 25ª Feira Nacional de Artesanato

Endereço: Expominas – Av. Amazonas, 6030 – Gameleira – Belo Horizonte

Horários:

3 a 5 de dezembro (quarta a sexta-feira): 14h00 às 22h00

6 e 7 de dezembro (sábado e domingo): 10h00 às 22h00

Fonte: Agência Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *