Programa oferece 20 mil vagas para cursos de pesca e aquicultura

Foto: Ministério da Pesca e Aquicultura

Metade das vagas previstas devem ser ofertadas na região Nordeste. Norte e Sudeste aparecem na sequência (Foto: Ministério da Pesca e Aquicultura)

Neste segundo semestre, pescadores profissionais e aquicultores interessados em cursos de qualificação profissional em pesca e aquicultura terão uma oferta de 20 mil vagas previstas pelo programa do governo federal para acesso ao ensino técnico.

“O Brasil precisa qualificar e profissionalizar os pescadores. Só assim, vamos conseguir aumentar de forma acelerada e qualificada a produção do pescado no país”, destaca o ministro da Pesca e Aquicultura Eduardo Lopes. Para ele, os cursos proporcionam ao pescador conhecimento técnico e avançado, melhorando não só os resultados na criação de peixes como também a segurança da navegação.

Com carga horária de 160 a 360 horas, os cursos são o resultado de acordo de cooperação entre o Ministério da Pesca e Aquicultura e o Ministério da Educação. Esta parceria permitiu a criação de uma modalidade específica do programa para os profissionais do setor pesqueiro e aquícola.  No primeiro semestre de 2014, 8.667 vagas foram ofertadas, das quais 4.467 no Nordeste e 2.687 na região Norte.

“Além dos pescadores, o programa atende os familiares que atuam ou desejam atuar na cadeia produtiva do pescado”, explica o secretário de Planejamento e Ordenamento da Pesca do MPA, Flávio Bezerra da Silva.

Segundo ele, a qualificação profissional dos pescadores e aquicultores, por meio dos cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) do programa de acesso ao ensino técnico, é uma importante oportunidade de aprimoramento profissional, inclusive para quem tem pouca ou nenhuma experiência no setor.

Proposta

Os cursos têm diversos objetivos, entre eles minimizar a perda de qualidade do pescado, melhorar técnicas de manipulação, agregar valor ao produto, fazer o aproveitamento dos subprodutos do pescado, melhorar os resultados na criação de peixes e ampliar noções em segurança da navegação.

Aproximadamente metade das vagas do segundo semestre serão ofertadas na região Nordeste. A região Norte ficará com 8079 vagas, o Sudeste com 5985, o Centro-Oeste com 1338 e a região Sul com 124 vagas.

Serão ofertados cursos de Aquicultor; Agente de desenvolvimento cooperativista; Artesão de biojoias; Condutor de Turismo de Pesca; Criador de Peixes em Tanque Rede; Criador de Peixes em Viveiros Escavados; Marisqueiro; Operador de Beneficiamento de Pescado; Operador e Mantenedor de Embarcações de Pesca Artesanal; Pescador; Pescador Profissional (POP Nível II); Piscicultor;Preparador de Pescado; e Redeiro de Pesca, entre outros.

As inscrições são gratuitas e realizadas nas Superintendências Federais da Pesca e Aquicultura de cada Estado. Confira no link abaixo o endereço das superintendências e os documento necessários à inscrição nos cursos.

Documentos necessários para a efetivação da matrícula

  • Copia da carteira da identidade – RG
  • Copia do CPF
  •  Comprovante de endereço
  • Comprovante de escolaridade ou alto declaração.

Requisitos

  • Escolaridade mínima definida no Guia Pronatec de Cursos FIC

Taxas

  • Não existem taxas.

Observação: As comunidades podem apresentar suas demandas de qualificação profissional à Superintendência da Pesca e Aquicultura do seu estado. As solicitações serão repassadas às instituições ofertantes do programa de acesso ao ensino técnico. O objetivo é viabilizar a oferta das turmas durante o período de pactuação de vagas no MEC.

A apresentação da demanda não garante a oferta do curso. A garantia se dará mediante a efetivação da matrícula realizada pelo beneficiário juntamente à Instituição ofertante do curso.

Fonte: Ministério da Pesca e Aquicultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *