ONU celebra queda de lei que punia gays com a morte

 

Apesar de decisão da Justiça, gays continuam enfrentando preconceito em Uganda (foto: EPA)

Apesar de decisão da Justiça, gays continuam enfrentando preconceito em Uganda (foto: EPA)

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, elogiou a decisão da Corte Constitucional de Uganda de anular a lei anti-gay no país, definindo-a como “uma vitória para o Estado de direito”. Por meio de uma nota oficial, o sul-coreano homenageou todos aqueles que contribuíram para essa conquista, mas também fez um apelo para que se acabe de vez com o preconceito contra homossexuais na nação africana.

“Todos têm o direito de viver uma vida digna, sem discriminação, assim como está escrito na Carta das Nações Unidas, na Declaração Universal dos Direitos Humanos e na Constituição de Uganda”, afirmou o secretário-geral. Sancionada em fevereiro deste ano, a legislação provocou fortes protestos da comunidade internacional porque proibia a “promoção” da homossexualidade, obrigava os cidadãos e denunciarem gays para a polícia e estabelecia penas que iam até a morte para quem se relacionasse com pessoas do mesmo sexo.

“A adoção da lei sem a aprovação da Câmara violou diversos artigos da Constituição e não respeitou o procedimento parlamentar, por isso é nula”, diz a sentença da corte.

Fonte: Ansa Brasil

Uma resposta a ONU celebra queda de lei que punia gays com a morte

  1. Daniel Isar disse:

    Muito bem aos governantes, visto que é um absurdo tal lei que estava em vigor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *