Chilenos voltam às ruas para pedir reforma educacional

Cerca de 23 mil estudantes se reuniram na capital chilena

Cerca de 23 mil estudantes se reuniram na capital chilena

Os estudantes chilenos voltaram hoje, 8 de maio, a realizar passeatas pelo centro de Santiago e outras regiões importantes do país apresentando as mesmas exigências das manifestações de 2011, uma educação pública, gratuita e de qualidade.

De acordo com as primeiras informações oficiais, cerca de 23 mil pessoas, em sua maioria estudantes, deixaram a Praça Itália, em Santiago, e seguiram pela Avenida Libertador General Bernardo O’Higgins, mais conhecida como Alameda, a principal via da capital chilena, passando pelo Palácio La Moeda.

Muitas pessoas ainda devem se juntar à passeata, no entanto. A ex-presidente da Federação de Estudantes do Chile (Fech) eleita deputada, Camila Vallejos, um dos principais rostos das manifestações desde 2011, disse que se juntaria à “marcha estudantil para reivindicar, em prol do movimento social, a reforma educacional”.

“Educação pública gratuita para todos”, concluiu, em mensagem publicada no Twitter. A jovem participou da mobilização em Valparaíso, onde fica a sede do Congresso Nacional, a cerca de 120 quilômetros de Santiago.

Fonte: Ansa Brasil

Uma resposta a Chilenos voltam às ruas para pedir reforma educacional

  1. josenaldo silva disse:

    chinelos manifestam por educação, brasileiros manifestam pra liberar droga, por isso o Brasil tem o governo que merece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *