Produtores de leite terão acesso a melhoramento genético

Produtores de leite terão acesso a melhoramento genético

Ato de autorização dos recursos foi assinado pelo secretário Nárcio Rodrigues, durante encerramento da Expozebu

O projeto Campo Novo, do Governo de Minas, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, irá levar tecnologia da fecundação in vitro aos pequenos produtores rurais de leite. O investimento de R$ 380 mil do Estado é oriundo da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). O ato de autorização dos recursos foi assinado pelo secretário Narcio Rodrigues, durante o encerramento da Expozebu, em Uberaba, na tarde desta sexta-feira (10).

O objetivo da iniciativa é permitir que os pequenos produtores rurais tenham acesso aos benefícios da biotecnologia e genética animal. “Estamos criando condições para que o pequeno produtor use a mesma tecnologia dos grandes produtores rurais de leite”, destaca o secretário. “Mesmo tendo médias baixas de produção, eles são os grandes responsáveis por colocar Minas Gerais na liderança da produção no Brasil”, completa Narcio.

O projeto surgiu após serem constatadas as dificuldades para o pequeno produtor se manter no campo. Inicialmente, serão atendidos 60 pequenos produtores, que entregam de 50 a 200 litros diários de leite à Cooperativa Agropecuária do Vale do Rio Grande (Coopervale).

Campo Novo tem uma visão social para democratizar a fertilização in vitro para o pequeno produtor. A coordenação é do Arranjo Produtivo Local (APL) de Biotecnologia e da Fundação Triângulo, em parceria com a Coopervale e de instituições públicas e privadas de ensino e pesquisa, além de empresas do segmento de genética bovina.

Projeto Teste Progênie

Também foi assinado pelo secretário Narcio Rodrigues e pelo presidente da Associação dos Criadores de Girolando, José Donato Dias Filho, documento que oficializa o investimento de mais R$ 178 mil do Governo de Minas, por meio da Fapemig, para estimular o projeto Teste Progênie, que objetiva ampliar a distribuição de sémen para o melhoramento genético.

A raça Girolando é brasileira, resultado do cruzamento do gir (zebu) com o holandês. Ela é considerada a grande solução para a pecuária leiteira tropical. Alguns exemplares da raça chegam a produzir cerca de 100 litros de leite por dia.

Também estiveram presentes o chefe do Centro de Pesquisa da Unidade Regional da Epamig Triângulo e Alto Paranaíba, José Mauro Valente, o presidente da Associação dos Criadores de Girolando, José Donato Dias Filho, e o diretor técnico da empresa Geneal, Rodolfo Rumpf.

Os parceiros do Campo Novo são: Sectes, Fapemig, Copervale, Geneal, Cenatte Biotech, Alta Genetics, ABS Pecplan, MSD Saúde Animal, Biogêneses Bagô, Associação dos Criadores de Girolando, Fazu, Senar, Vitae Rural, Polo de Excelência em Genética Bovina, ABCZ, prefeitura de Uberaba, Emater-MG, Sindicato dos Produtores Rurais de Uberaba, Sebrae-MG, Sicoob e Uniube.

Agência Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *