Governador confirma que duas bombas foram detonadas em Boston

Número de feridos aumentou para 176, incluindo 17 pessoas em estado grave.

Número de feridos aumentou para 176, incluindo 17 pessoas em estado grave.

O governador de Massachusetts, Deval Patrick, confirmou hoje (16) que as autoridades norte-americanas só encontraram duas bombas perto da linha da chegada da Maratona de Boston, onde duas explosões provocaram a morte de pelo menos três pessoas.

“É importante esclarecer que foram encontrados dois e apenas dois artefatos explosivos na área. Os outros pacotes que foram investigados não eram artefatos”, assinalou Deval Patrick, em uma coletiva de imprensa conjunta com as autoridades de Boston e a Polícia Federal norte-americana (FBI).

Após as duas explosões, as autoridades procuraram e revistaram outros pacotes suspeitos que, segundo confirmou o governador do estado de Massachusetts, não continham explosivos.

Ainda na conferência de imprensa, Deval Patrick qualificou as explosões como “um ato de terror”, que causou a morte, até o momento, de três pessoas, incluindo uma criança de 8 anos.

O novo balanço de vítimas fornecido pela polícia local indica que o número de feridos aumentou para 176, incluindo 17 pessoas em estado grave. O balanço anterior informava mais de 140 feridos.

Deval Patrick enviou condolências às famílias e aos amigos das vítimas, adiantando que está sendo preparada uma cerimônia ecumênica para prestar homenagem a todos os afetados pelas explosões. A cerimônia será realizada amanhã (17).

O chefe da Polícia de Boston, Ed Davis, informou que, até o momento, não foi feita qualquer detenção. “Não temos ninguém sob custódia”, disse o responsável.

Durante a coletiva de imprensa, o representante do FBI disse que a investigação encontra-se em uma fase “muito ativa” e que já foram colhidos vários depoimentos.

O agente Rick DesLauriers garantiu, em declarações aos jornalistas, que o FBI irá “até o fim do mundo” para encontrar os responsáveis pelas explosões, informando que as autoridades não receberam qualquer alerta antes do ataque.

“Vai ser uma investigação global. Iremos até o fim do mundo para identificar o responsável ou os responsáveis que perpetraram este crime desprezível e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para apresentá-los perante à Justiça”, disse DesLauriers.

A Polícia Federal norte-americana pediu a colaboração de todas as pessoas que tenham informações, fotografias, aúdios ou vídeos que possam ser úteis à investigação.

Ainda na coletiva de imprensa conjunta, Jim Marquez, do departamento responsável pelo controle de álcool, tabaco, armas e explosivos (ATF), esclareceu que as informações divulgadas sobre a existência de até sete artefatos explosivos com risco de detonação são “falsas”.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *