Mais medicamentos serão produzidos no Brasil

Inova Saúde tem como objetivos incentivar o desenvolvimento tecnológico da indústria nacional e fortalecimento da cadeia produtiva da área

Inova Saúde tem como objetivos incentivar o desenvolvimento tecnológico da indústria nacional e fortalecimento da cadeia produtiva da área

Um pacote de iniciativas para impulsionar a indústria brasileira no setor da saúde foi anunciado, na quinta-feira (11), pelo Ministério da Saúde. Foram firmadas oito parcerias entre laboratórios públicos e privados para a produção nacional.

Por meio dos acordos, os laboratórios estrangeiros se comprometem a transferir aos laboratórios brasileiros a tecnologia para a produção nacional de medicamentos e vacinas, dentro de um prazo de cinco anos. Como contrapartida, o governo garante exclusividade na compra desses produtos, pelos menores valores cotados no mercado mundial, durante o mesmo período.

 Os medicamentos que passarão a ser produzidos no Brasil são o antirretroviral darunavir (usado no tratamento do HIV); galantamina (contra o mal de Alzheimer); espirais de platina (usadas nas cirurgias de aneurisma cerebral); cloroquina, anfotericina B e anfotericina B lipossomal (medicamentos usados contra malária e leishmaniose). Também será transferida a tecnologia para a produção de um polivitamínico usado para anemia profunda indicado para crianças de até três anos, e a construção de três tipos de aparelhos auditivos.

O pacote deve gerar economia de R$ 354 milhões já que a maioria destes medicamentos é distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Profarma III

O governo irá disponibilizar R$ 7 bilhões para a concessão de crédito a empresas brasileiras com projetos inovadores no campo da saúde, além da injeção de R$ 1,3 bilhão na infraestrutura de laboratórios públicos. Os recursos serão utilizados no desenvolvimento de pesquisas e insumos que assegurem a autonomia brasileira em produtos biotecnológicos, equipamentos médicos e tecnologias para o setor até 2017.

Desse total, R$ 5 bilhões virão da terceira fase do Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde (BNDES Profarma), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O Profarma III terá um novo subprograma, o Profarma Biotecnologia, com ênfase ao desenvolvimento e produção de produtos biotecnológicos e apoio a planos estruturados de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e inovação na cadeia da saúde.

Programa Inova Empresa

Dois editais do Programa Inova Empresa, lançado em março deste ano, também foram divulgados: o Inova Saúde – Equipamentos Médicos, plano conjunto entre BNDES, Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Ministério da Saúde, que prevê apoio à inovação tecnológica no setor de equipamentos médicos e tecnologias para a saúde; e o Inova Saúde – Medicamentos, que visa o desenvolvimento de novos processos produtivos de medicamentos e insumos farmacêuticos.

O Inova Saúde – Equipamentos Médicos terá orçamento de R$ 600 milhões e o Inova Saúde – Medicamentos contará com R$ 1,3 bilhão. O objetivo é fortalecer a indústria brasileira de equipamentos médicos e de medicamentos e insumos, bem como o domínio de tecnologias prioritárias voltadas para atender às demandas de saúde no País.

Furp

O laboratório público paulistano Fundação para o Remédio Popular (Furp) está envolvido em três novas parcerias para a produção de um medicamento e quatro equipamentos com diferentes parceiros. Será produzido um medicamento contra o mal de Alzheimer, a Galantamina, espirais de platina, usadas nas cirurgias de aneurisma cerebral, e três aparelhos auditivos. Com isso, o Ministério da Saúde passará a comprar da Fundação R$ 220 milhões em produtos, dez vezes mais que os atuais R$ 20 milhões.

Os investimentos estão entre diversas medidas de estímulo à produção pública. O ano passado, R$ 242 milhões foram aplicados em 67 projetos voltados à infraestrutura, inovação e qualificação da gestão de 14 laboratórios públicos e 7 Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs). Esse valor é cinco vezes maior do que a média anual dos últimos 12 anos, que foi de R$ 42 milhões.

Fonte: Brasil.gov

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *