Oito anos depois: Brasil nas quartas de final

(Imagem: Getty Images/Fifa)

(Imagem: Getty Images/Fifa)

Oito anos depois, a Seleção Brasileira Feminina Sub-20 está nas quartas de final da Copa do Mundo. Desta vez, na Papua-Nova Guiné, o Brasil saiu da primeira fase da competição com uma vitória (9 a 0 sobre as donas da casa), um empate (1 a 1 com a Suécia) e uma derrota (4 a 2 para a Coreia do Norte), 12 gols marcados e cinco sofridos.

– Estamos fazendo história. É um momento especial, trabalhamos bastante para isso, mas não é aqui que a gente quer chegar, queremos ir até a final, passo por passo, e continuar fazendo história – disse a camisa 10 Laís

Para chegar à final, o Brasil enfrentará o Japão, primeiro do Grupo B, nas quartas. A Seleção ficou com a segunda vaga do Grupo A, e a Coreia, que venceu a Papua por 7 a 1, ficou com nove pontos – três vitórias –, o primeiro lugar e jogará contra a Espanha.

– Para as quartas de final avançam as melhores equipes, é uma nova competição agora. Temos que aproveitar e comemorar a classificação, mas quando acordar já pensar no Japão, que é uma equipe muito forte – analisou Gabi Nunes, que marcou o gol do empate do Brasil com a Suécia.

Brasil e Japão se enfrentarão em 2015 em um torneio amistoso nos Estados Unidos, quando a equipe comandada pelo técnico Doriva Bueno iniciava sua caminhada rumo à disputa do Sul-Americano e à conquista da vaga para o Mundial. Naquela ocasião, as japonesas venceram por 4 a 0.

– Conhecemos bem o Japão. É uma equipe que gosta de tocar a bola e é muito veloz. Jogamos contra eles em 2015, quando ainda estávamos formando o nosso time. Muitas meninas que estão aqui na Papua não estavam naquele jogo, mas já assistiram e sabem como eles jogam. Vamos assistir a mais vídeos e passar todas as informações para as meninas. Agora é uma nova competição – avaliou o treinador.

O confronto das quartas de final entre a Seleção Brasileira e as japonesas é na quinta-feira, 24, às 19h30 (7h30 de Brasília).

O jogo

Mesmo com a vantagem do empate, a Seleção Brasileira entrou em campo com postura ofensiva. A primeira grande chance de gol da partida foi do Brasil. Aos seis minutos, após cobrança de escanteio, Gabi Nunes quase abriu o placar. A Suécia respondeu e, sete minutos depois, largou na frente com gol de Blackstenius, usando a cabeça. A Canarinho não se abateu e seguiu pressionando. Aos 18, Yasmin cobrou escanteio e Gabi Nunes, novamente, quase marcou, tocando por cima da meta. Na marca dos 31 minutos, nova oportunidade para Gabi. E, na terceira, a artilheira não desperdiçou. Brena cruzou da esquerda e a camisa 8 cabeceou para o fundo da rede.

Na etapa final, a Seleção Brasileira não a forma de jogar e continuou atacando. Duda, Gabi Nunes e Geyse deram bastante trabalho ao setor defensivo da Suécia até o apito final do árbitro. A goleira Carla foi exigida somente em uma oportunidade, aos 17 minutos, quando Anvegard tentou marcar de cobertura, da entrada da área, e a arqueira brasileira deu um tapa por cima para evitar o gol. Quando o relógio marcava 45 minutos, o Brasil chegou a ter dez finalizações a mais na partida, com 15 a 5 no placar do fundamento, e, mesmo com a posse de bola maior para as adversárias nos minutos finais, não passou grande aperto.

Brasil: Carla; Julia, Beatriz, Daiane e Yasmin; Brena, Katrine (Victoria), Gabi Nunes e Duda; Lais e Geyse.

CBF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *