Atletas brasileiros de judô terminam na sétima posição

Medalhistas olímpicos em Londres 2012 ficam fora da briga pelo pódio no Rio. (Imagem: Marcelo Pereira/Exemplus/COB)

Medalhistas olímpicos em Londres 2012 ficam fora da briga pelo pódio no Rio. (Imagem: Marcelo Pereira/Exemplus/COB)

Medalhistas em Londres 2012, Sarah Menezes (48kg) e Felipe Kitadai (60kg) eram esperanças do Brasil na estreia do judô nos Jogos Rio 2016, mas acabaram eliminados na repescagem neste sábado, dia 6, na Arena Carioca 2. Sarah, que perdeu no golden score, ainda sofreu uma luxação no cotovelo direito, que foi deslocado, e saiu do tatame direto para fazer um exame de imagem na policlínica da Vila Olímpica. Ambos terminaram na sétima posição.

Campeã em Londres, Sarah foi a primeira a deixar a competição. Depois de estrear superando a belga Charline Van Snick, por yuko, passou à repescagem ao ser penalizada na luta contra a cubana Dayaris Alvarez Mestre. Ainda com chances de lutar pelo bronze, Sarah enfrentou Urantsetseg Munkhbat, da Mongólia, ouro no Mundial do Rio 2013.  A adversária aplicou na brasileira duas chaves de braço que ocasionou a luxação, segundo o médico da seleção brasileira, Mateus Saito.

“Essa lesão a impediu de continuar na luta. Ela relatou a sensação de que o cotovelo saiu do lugar e ela mesma recolocou”, disse o médico. O líder da equipe brasileira, Ney Pereira, foi ainda mais longe. “Ela brigou até onde pode. O braço dela virou bastante e, mesmo se tivesse vencido, com certeza ela não teria condições de lutar mais”. Ney também fez uma breve avaliação da estreia do Brasil. “Seria um dia bom para o Brasil, mas nada que tire a confiança do trabalho que foi realizado. Temos seis dias ainda pela frente. Mas o dia de hoje foi ruim”.

Bronze em Londres, Felipe venceu seus dois primeiros combates por yuko. Na estreia ganhou do francês Walide Khyar, atual campeão europeu, e seguida derrotou o alemão Tobias Englmaier. Na luta que valia a vaga nas semifinais, perdeu para Orkhan Safarov, do Azerbaijão, vice-campeão europeu, por ipon, mesmo golpe que sofreu para Diyorbek Urozboev, do Uzbequistão.

“Tinha condições de ganhar uma medalha, mas acho que é difícil de prever, ainda mais no judô. Nas quartas de final, estava numa situação muito boa, vencendo, e em bem menos de um segundo a luta virou e eu perdi. Na repescagem, ele fez um golpe para a direita, sendo que é um atleta com golpes predominantes na canhota”, explicou Kitadai. “A minha competição acabou, mas tenho como missão pessoal ajudar no que for possível os meus 12 amigos que estão chegando. A torcida me acolheu, me abraçou, me ajudou bastante. Fiquei chateado por não ter presenteado todos com uma medalha. Mas, com certeza, dei o meu máximo, e não deixei nada para trás. Dói mais por ser em casa”, afirmou Kitadai, ainda abatido.

Neste domingo, dia 7, o Brasil voltará ao tatame da Arena Rio 2 com os judocas do meio-leve: Charles Chibana (66kg) e Érika Miranda (52kg).

COB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *