Para Fernando Fernandes, 2016 será o ano da canoagem brasileira

fernando fernandes

Imagem: Ministério do Esporte

A canoagem é mais do que um esporte para Fernando Fernandes. É um estilo de vida. A modalidade que trouxe a sensação de liberdade ao tetracampeão mundial de canoagem paralímpica faz parte do cotidiano do esportista há seis anos. O atleta volta para casa do Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2015, em Milão, na Itália, com a medalha de bronze na categoria KL 1 masculino e a certeza de que o esporte mudou de patamar no país.

A canoagem entrou na vida de Fernando Fernandes de forma lúdica, durante o processo de reabilitação durante o período no Hospital Sarah Kubitschek, em Brasília. O primeiro contato foi em dezembro de 2009 e, em agosto do ano seguinte, o canoísta disputou o Campeonato Mundial de Canoagem, na Polônia.

Nesta edição do evento, o atleta fez parte da delegação nacional que se despede de Milão com a melhor participação da história dos mundiais: com sete medalhas e duas vagas para os Jogos Paralímpicos Rio.

Em 2016, a canoagem vai estrear nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, junto com o paratriatlo. Assim, Fernando – que recebe o benefício do programa Bolsa Pódio, do Ministério do Esporte – acredita que o próximo ano será especial para o esporte.  

“A canoagem ganhou uma proporção inimaginável. Quando eu olho para traz, vejo a diferença e a evolução. Hoje, tanto a paracanoagem quanto a canoagem olímpica tomaram uma proporção maior, com destaque na mídia e lutando por medalhas. Em 2016 todo mundo vai querer brilhar”, diz, ao analisar o cenário da canoagem brasileira.

Nos últimos anos, a canoagem brasileira ganhou estrutura, com a implementação de três centros de treinamento, além dos apoios diretos aos atletas. “Quando eu comecei era tudo tão difícil. Hoje, tenho tudo do melhor: barco, remo e profissionais do meu lado. Quando você trabalha com amor o retorno é certo. Pode não ser a medalha de ouro, mas será a sua vitória pessoal, porque você está fazendo o seu melhor todos os dias”, afirma o atleta.

O canoísta acredita que os resultados dentro d’água são fruto de um esforço conjunto para que os canoístas brasileiros deem orgulho para a nação nos Jogos do Rio. “Mais do que os atletas, o que garantirá o nosso sucesso é a estrutura com que contamos atualmente. É a estrutura de comissão técnica e o respaldo financeiro dos patrocinadores. Isso dá tranquilidade para a gente poder treinar e para brilhar em 2016”, explica.

Ministério do Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *