Brasil se recupera no basquete feminino e vence Porto Rico

Pan_Basquete_BraxPri2Após a derrota para os Estados Unidos por 75 x 69 na estreia, a seleção brasileira feminina de basquete voltou ao Centro Atlético de Ryerson, em Toronto, nesta sexta-feira (17.07), precisando vencer Porto Rico para manter as chances de medalha nos Jogos Pan-Americanos. A vitória veio, por 62 x 57, mas o placar não assegurou a vaga. Agora, as brasileiras precisam superar a República Dominicana neste sábado (18.07) e torcer por um triunfo norte-americano sobre as porto-riquenhas para avançar.

A ala-pivô Izabella Sangalli explicou a situação do grupo. “A gente precisava dessa vitória para tentar a vaga. Agora, com a diferença de cinco pontos, vamos precisar ver como vai ser Estados Unidos e Porto Rico. Com vitória dos EUA a gente classifica em segundo, se ganharmos amanhã também. Mas dependemos destes jogos. Nada certo ainda”, contou.

Mesmo com o resultado positivo, o técnico Luiz Augusto Zenon não ficou satisfeito. “Tentamos fazer um jogo de vitória. Hoje a gente só tinha essa opção. A gente até jogou abaixo da nossa expectativa no sentido tático, mas jogamos para a vitória. Foi importante e agora a gente aguarda a sequência para saber se a gente tem chance de brigar por medalha ou não”, sentenciou.

O jogo

O Brasil começou a partida com Mayara (armadora), Jaqueline, Karina Jacob e Isabela Macedo (alas) e Kelly (pivô) em quadra. A seleção conseguiu imprimir um bom ritmo no início, abrindo cinco pontos de vantagem. Após seguidos erros de ataque, no entanto, a equipe viu as porto-riquenhas empatarem o jogo, que seguiu equilibrado até os minutos finais do primeiro quarto, finalizado em 20 x 14 para o Brasil. Com bom aproveitamento da linha de três pontos (2/3), a ala-armadora Jaque foi o destaque do período.

A seleção de Porto Rico voltou mais ligada para o segundo quarto e chegou a virar a partida, liderando por um ponto. Destaque para a ala-armadora Allison Gibson, que saiu do banco, e para a armadora Carla Cortijo, cestinha, que comandaram a reação porto-riquenha. O Brasil, no entanto, conseguiu se recuperar de um péssimo desempenho ofensivo no início do quarto, com apenas dois pontos marcados em quase sete minutos,  e voltou a ficar à frente no placar com duas cestas seguidas da pivô Kelly. Brasil 31 x 26 na primeira metade da partida.

Logo no início do terceiro quarto, Porto Rico encostou no placar, em mais uma jogada individual de Carla Cortijo. A partida seguiu equilibrada até o fim do período e, em boa atuação coletiva, a seleção brasileira fechou em vantagem: 46 x 40.

A seleção brasileira veio à quadra no último quarto sabendo da necessidade de vencer com uma vantagem de pelo menos sete pontos para não depender dos outros jogos para avançar. Mais vibrantes em quadra, as brasileiras foram firme na defesa e apostaram na velocidade da armadora Débora para abrir vantagem nos contra-ataques. Com sucessivos erros seguidos a menos de dois minutos para o fim do jogo, no entanto, o Brasil deixou as adversárias encostarem no placar, não conseguindo o saldo desejado.

A cestinha da partida foi a porto-riquenha Carla Cortijo, com 20 pontos. Jaque foi quem mais pontuou pelo Brasil (13).

O basquete recebeu diversos investimentos federais entre 2009 e 2014, que somados ultrapassam R$ 66 milhões. Com o apoio federal, diversos projetos da Liga Nacional de Basquete (LNB) e da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) foram implantados com o objetivo de impulsionar a modalidade e revelar novos talentos. Um dos exemplos é a Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB), voltada para preparação de atletas sub 22 masculino. Das 12 atletas da seleção feminina convocada para o Pan, dez recebem Bolsa Atleta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *