COB começa a preparar Chefes de Equipe para Toronto 2015 e Rio 2016

Crédito: Heitor Vilela/COB

Crédito: Heitor Vilela/COB

O Comitê Olímpico do Brasil (COB), através do Instituto Olímpico Brasileiro (IOB) e da Diretoria Executiva de Esportes, reuniu durante dois dias representantes das Confederações Brasileiras Olímpicas para uma iniciativa inédita. Com o objetivo de preparar os gestores esportivos para Toronto 2015 e Rio 2016, foi realizado, nos dias 9 e 10 de dezembro, o lançamento do Curso de Capacitação de Chefes de Equipe (CCCE). O encontro aconteceu no auditório do COB, no Rio de Janeiro, e marcou o começo das atividades do curso de 26 meses de duração.

Com a realização do CCCE, o COB pretende capacitar os Chefes de Equipe para que cheguem às próximas competições multiesportivas preparados para atuar da melhor forma dentro das diversas demandas que o cargo exige. “Os Chefes de Equipe são profissionais fundamentais no processo de planejamento e operação da participação de cada modalidade esportiva em uma Missão. A proposta deste curso é mostrar a eles a responsabilidade deste cargo. O Chefe de Equipe não é convidado para integrar uma Missão, ele é convocado. Eles são a ligação com os atletas e por isso têm um papel essencial dentro de uma Missão Olímpica”, afirmou Marcus Vinicius Freire, Diretor Executivo de Esportes do COB e Chefe da Missão Brasileira em três Jogos Olímpicos e três Jogos Pan-americanos.

Dentre as principais atribuições dos Chefes de Equipe estão: Planejar, organizar, promover e avaliar a participação da delegação esportiva nos principais Jogos do Ciclo Olímpico, juntamente com o COB e as comissões técnicas de cada modalidade; Realizar a gestão dos processos e dos prazos estipulados pelo COB e pelas Confederações Brasileiras; Realizar a gestão de treinadores, de atletas e demais oficiais técnicos que compõem as Missões; Orientar os atletas sobre as questões e regras do Doping; entre outros.

“Para o COB, é de extrema importância a capacitação dos Chefes de Equipe pela relevância e impacto da atuação desses profissionais no desempenho de seus respectivos atletas. Nós estamos buscando profissionalizar ao máximo esta atividade. Tenho certeza de que todos têm uma enorme bagagem, conhecem muito e vão passar mais experiência do que receber. Então, nossa ideia é promover uma intensa troca de conhecimento e com isso contribuir com o desenvolvimento do nosso esporte”, declarou Augusto Heleno, diretor executivo do Instituto Olímpico Brasileiro.

Estão programados outros oito encontros presenciais até novembro de 2016, quando se encerram as atividades do CCCE.

“Independente de ter os Jogos Olímpicos no Brasil, a ideia deste curso é sensacional. No mínimo, vai deixar todo mundo com as mesmas informações e alinhado para as Missões do COB. Sendo os Jogos no Brasil, essa iniciativa tem ainda mais importância. Estou achando sensacional ver pessoas com tanto conhecimento e experiência compartilhando ideias, reforçando conceitos. Estou adorando o curso”, destacou Alberto Silva, Coordenador da natação masculina da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, que desembarcou do Mundial de Piscina Curta de Doha, onde o Brasil conquistou 10 medalhas, e foi direto para o curso.

As confederações estão participando do CCCE com mais de um representante por modalidade. A participação no curso é fundamental dentro do processo de seleção para ser Chefe de Equipe nas Missões organizadas pelo COB.

“Eu que tive a experiência olímpica como atleta, sentia bastante falta deste apoio, desta preparação e capacitação de gestores. Fazer parte de algo que não tive como atleta é motivo de orgulho. Está sendo emocionante, porque já dá para sentir um clima olímpico, desta vez contribuindo para que o atleta possa atingir o seu máximo e conquistar o que a gente sempre espera, a medalha. Esse curso é o grande caminho para atingirmos o sucesso, não só em termos de resultados, mas no lado administrativo. É uma iniciativa brilhante”, elogiou o atleta olímpico de vôlei de praia Franco Neto, atual Gerente de seleções de vôlei de praia na Confederação Brasileira de Vôlei.

Fonte: COB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *