No banco dos réus, Atlético e Cruzeiro buscam se livrar de penas

Atlético e Cruzeiro estarão no banco dos réus do Superior Tribunal de Justiça Desportiva nesta quarta-feira, 1º de outubro. A sessão que determinará as possíveis punições aos clubes após os incidentes do clássico do Mineirão tem horário marcado para 13h. A pauta será a 10ª julgada no dia. Os presidentes Alexandre Kalil e Gilvan de Pinho Tavares estarão presentes para “reforçar” os clubes.

Ambos foram denunciados pela Procuradoria por infração dupla ao artigo 213. Com isso, os rivais mineiros responderão por desordens e lançamentos de objetos no estádio. Caso sejam condenados, a multa aplicada pode chegar a R$ 200 mil e a perda de até 20 mandos de campo por infração. O órgão pede ainda a aplicação do artigo 69-B do Regulamento Geral das Competições que determina portões fechados em caso de punição com a perda de mando.

Durante a partida entre Cruzeiro e Atlético no dia 21 de setembro, vários incidentes foram relatados. O árbitro Marcelo de Lima Henrique chegou a paralisar o jogo no Gigante da Pampulha depois que uma bomba estilo “garrafão” explodiu no estádio. Ele registrou na súmula que houve problemas nas duas torcidas e arremessos de artefatos explosivos entre elas. Cadeiras do estádio foram depredadas e arremessadas e ainda houve tentativa de invasão por parte de duas organizadas, uma de cada clube. 

O relatório encaminhado pela Polícia Militar de Minas Gerais ao Ministério Público do estado ratifica os problemas de violência do clássico. Ocorrências foram registradas dentro e fora do estádio. Como resposta pelos graves incidentes, o MP baniu temporariamente as torcidas organizadas Pavilhão Independente e Máfia Azul (do Cruzeiro) e Galoucura (do Atlético). 

Caso sejam punidos, os clubes terão de cumprir a pena de perda de mando de campo no Campeonato Brasileiro deste ano e, se necessário, na edição de 2015. A eventual penalização não interferirá nos compromissos de Atlético e Cruzeiro na Copa do Brasil.

Para os próximos dois jogos do Brasileiro, o Cruzeiro não perderá o direito de enfrentar Internacional e Corinthians no Mineirão, porque a legislação determina prazo de 10 dias após o julgamento para o cumprimento da pena. Já o Atlético corre o risco de não enfrentar o São Paulo no Independência, próximo jogo como mandante, pois a partida ocorrerá daqui 11 dias. O Galo já vende ingressos para seus sócios para esta partida. 

Punições pesadas aos clubes mineiros podem influenciar o futuro das equipes no Brasileiro. O Cruzeiro é candidato ao bicampeonato, com vantagem na liderança da tabela. O Galo está no G-4 e sonha em, no mínimo, se consolidar entre os clubes que disputarão a Copa Libertadores de 2015.

Super Esportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *