Cruzeiro empata com o Cerro Porteño no último lance

(Gualter Naves/Light Press)

(Gualter Naves/Light Press)

Com um volume de jogo de muita intensidade, característica marcante do time treinado por Marcelo Oliveira, o Cruzeiro pressionou o Cerro Porteño-PAR durante todo o tempo, criou inúmeras chances de gols, mas saiu atrás no marcador e conseguiu o empate em 1 x 1 no último lance da partida, a primeira entre as duas equipes pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América, na noite desta quarta-feira, 16 de abril, no Mineirão.

Com a igualdade, o atual campeão brasileiro precisa vencer o adversário no jogo de volta, marcado para o dia 30 de abril, no estádio General Pablo Rojas, em Assunção, capital do Paraguai, para garantir a vaga nas quartas de final. Empate por 2 x 2 ou com mais gols, a classificação também fica com a Raposa.

O guerreiro paraguaio Samudio marcou o gol da equipe celeste, que antes de enfrentar novamente o Cerro Porteño, terá suas duas primeiras partidas pelo Campeonato Brasileiro, nos próximos domingos, contra o Bahia, em Salvador, e o São Paulo, em Uberlândia.

Pressão total

O Melhor Clube Brasileiro do Século XX começou a partida exercendo uma enorme pressão sobre o adversário e até os 10 minutos iniciais teve duas chances para marcar. Na primeira delas, Everton Ribeiro passou por dois marcadores na ponta direita e cruzou para Júlio Baptista na pequena área, mas o zagueiro Cardoso tirou para longe. No rebote, Willian chutou para fora, acima do gol.

A outra oportunidade foi em jogada de bola parada ensaiada. Everton Ribeiro rolou a falta para Samudio, que chutou forte, de longe, abola resvalou em Ortiz e quase entrou no ângulo, não fosse importante defesa do goleiro Fernandez.

As finalizações cinco estrelas seguiam com perigo, mas o goleiro adversário apareceu muito bem e fez grandes defesas, em chutes de Everton Ribeiro, Willian e Elber.

Aos 31, após escanteio pela direita, Ortiz cabeceou e Fábio defendeu. No rebote, Corujo chutou cruzado e Angel Romero desviou, tirando Fábio da jogada. Cerro Porteño 1 x 0.

O empate poderia ter saído ainda no primeiro, em um lance protagonizado pelo atacante Willian, que tabelou com Júlio Baptista, mas finalizou mal, acima do gol.

Guerreiros

Atrás no marcador, o tricampeão brasileiro iniciou o segundo tempo com uma postura ainda mais ofensiva, encurralando o Cerro Porteño na defesa. Mas o time paraguaio contra-atacava com perigo e deu trabalho ao goleiro Fábio, que defendeu um chute cara a cara de Óscar Romero e uma bomba de Daniel Guiza, de fora da área.

Já a Raposa seguia pressionando e esbarrando no goleiro Fernandez, que continuava fazendo intervenções precisas, como no cabeceio de Dedé e nas finalizações de Júlio Baptista e Henrique, ambas de fora da área.

Júlio Baptista e Willian tentaram novamente e finalizaram longe da meta. O gol era questão de tempo, mas insistia em não sair, deixando a China Azul preocupada. Aos 39, Willian chutou colocado, na trave. No rebote, Everton Ribeiro marcou, mas o árbitro anulou a jogada, alegando impedimento do meia cruzeirense.

Nos minutos finais, a pressão cresceu ainda mais e por pouco Lucas Silva não empatou, aos 43, com um foguete de muito longe. Fernandez não segurou e a bola estava entrando no gol, mas o goleiro paraguaio se recuperou e conseguiu tirar para escanteio.

Mas, aos 49, no último lance do jogo, o Cruzeiro finalmente empatou. Everton Ribeiro cobrou escanteio e a bola sobrou para Samudio, que chutou com força e marcou, evitando a derrota estrelada e melhorando sensivelmente a situação do campeão brasileiro no confronto.

O gol do atleta paraguaio, que novamente teve grande atuação, foi comemorado bastante pela maior torcida de Minas Gerais, que segue com confiança total na conquista do tricampeonato da Libertadores.

Site oficial do Cruzeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *