Independência recebe jogo-teste e está pronto para inauguração

 

O estádio é conhecido como o ‘Gigante do Horto’

A bola rolou no novo estádio Independência. O ‘Gigante do Horto’, como também é conhecido, recebeu o seu primeiro jogo após as obras de modernização na noite de segunda-feira (23). Em campo, operários, jornalistas e ex-jogadores profissionais. Além de ser uma homenagem àqueles que trabalharam nas obras do Independência, o jogo serviu para testar o estádio, que tem reinauguração marcada para esta quarta-feira (25), às 21h30.

“O estádio está pronto para ser reinaugurado. Hoje, quero agradecer a todos os operários envolvidos nesta importante obra, e que hoje estão muito bem representados dentro de campo”, comenta o secretário de Estado Extraordinário da Copa, Sergio Barroso. De acordo com ele, o estádio marca uma nova era do futebol mineiro. “Esse é o ponta-pé da profissionalização do nosso futebol. Mais que isso, estamos devolvendo para os mineiros um estádio moderno e seguro, que receberá novamente famílias e pessoas de todas as cidades para torcer nas arquibancadas”.

Welix Dejan, carpinteiro, foi um dos oito operários que participaram do jogo-teste. Ele entrou em campo como titular. “Participei da construção desse estádio e, apesar de ser um sonho, nunca imaginei jogar neste campo de verdade. Eu participo de peladas, mas agora, que tive contato com um estádio profissional, percebi as diferenças. A iluminação é ótima e o gramado é um tapete”, aponta o operário.

O jornalista e ex-jogador Toledo fez o primeiro gol no novo Independência. Ele recebeu um passe de seu colega de profissão Thiago Reis e encobriu o goleiro. “Fiz o primeiro gol no novo Independência. Já posso morrer em paz”, exclamou o ex-jogador, ainda comemorando a façanha. No segundo tempo, Marcos Guiotti, também jornalista, marcou de pênalti.

Célio Lúcio, ex-jogador profissional do Cruzeiro, comenta sua emoção em testar o novo estádio. “O primeiro gol da minha carreira profissional foi aqui mesmo, em um jogo contra o Corinthians durante a Copa do Brasil de 1996. É emocionante voltar a jogar aqui, neste estádio que está maravilhoso”, afirma o jogador.

O ex-goleiro profissional Milagres que atuou no América também entrou em campo no jogo-teste. “Três pontos se destacam na arena: a iluminação afinada, o gramado FIFA e os vestiários, que são de última geração. Já é um grande legado que o futebol mineiro tem para se profissionalizar”, disse.

“O gramado é de primeiro mundo, com padrão FIFA. O estádio tem muito a ver com as arenas européias, ou seja, o que tem de melhor no mundo”, comentou o ex-jogador do Atlético Mineiro, André Figueiredo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *