No Senado, repórter da BBC acusa Teixeira de corrupção

uipi-No_Senado_reprter_da_BBC_acusa_Teixeira_de_corrupoBRASÍLIA – Em audiência pública na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, o repórter da rede britânica BBC, Andrew Jennings, reafirmou nesta quarta-feira as suas acusações de que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, e o ex-presidente da Fifa João Havelange receberam propinas para assinaturas de contrato da entidade máxima do futebol mundial com a ISL, uma das maiores agências de marketing esportivo do mundo. Segundo o jornalista, ambos confessaram à Justiça suíça o recebimento e fizeram um acordo para devolver parte do dinheiro e pagar uma multa que foi destinada a uma instituição de caridade.

De acordo com o relato do jornalista, Ricardo Teixeira teria recebido US$ 9,5 milhões em propinas por meio de uma empresa de fachada de Lichenstein, chamada Sanud. Jennings chegou ao valor por meio de um cruzamento de dados da CPI do Futebol de 2001 que teria mostrado o cartola recebendo dinheiro desta empresa e de uma lista atribuída à ISL, na qual haveria repasse de propina para a mesma Sanud. O senador Álvaro Dias (PSDB-PR), que presidiu a investigação de 2001, afirmou que a suspeita é que a empresa Sanud pode ter sido usada para lavar dinheiro de Teixeira.

O repórter da BBC acusa também João Havelange. Segundo ele, um repasse de cerca de US$ 1 milhão de propina foi feito de forma errada pela ISL para a conta da Fifa e não do dirigente. O presidente da Fifa, Joseph Blatter, foi avisado e teria repassado o dinheiro a Havelange. Jennings especula que os repasses totais a Havelange podem ter chegado a US$ 50 milhões.

Jennings cobra da Fifa a divulgação do acordo fechado pelos dirigentes com a Justiça suíça, que está protegido sobre sigilo. Ele classificou como mentira a promessa do presidente da Fifa de que vai divulgar o documento a partir de dezembro. Para o jornalista, isso não ocorrerá porque Blatter admite no processo saber do pagamento de propina e isso inviabilizaria sua permanência no comando da entidade máxima do futebol. O jornalista afirma ainda que um depoimento de um diretor da ISL neste processo confessa o pagamento de US$ 100 milhões a dirigentes da Fifa.

Antes da audiência desta quarta-feira, um oficial de justiça tentou intimar Jennings a comparecer a uma audiência em janeiro em um processo movido por Ricardo Teixeira contra ele. O repórter se recusou a aceitar a intimação. Na audiência, disse estar à disposição da Polícia Federal, que realiza investigação contra o presidente da CBF.

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) pediu que as informações levantadas na reunião sejam encaminhadas à presidente Dilma Rousseff. O presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, Roberto Requião (PMDB-PR), disse que fará isso ainda nesta quarta. Jennings fez uma recomendação para o Brasil em relação à Copa. “Vocês não podem interferir na CBF, mas, a favor do interesse do seu país, vocês precisam tirar essas pessoas e colocar homens e mulheres limpas para organizar a Copa”, afirmou.

Redação Uipi!
Fonte: Agência Estado
Imagem: novinite.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *