Corpos são trocados no IML e um deles é encaminhado a 500 km de distância

Foto

Luíz Marcos de Oliveira de Ávila faleceu após cair do telhado de uma construção. O corpo dele foi encaminhado para Unaí por engano.

Familiares que perderam um ente querido recentemente, estão sofrendo não apenas pela perda, mas pelo extravio do corpo. Duas famílias tiveram os corpos dos parentes trocados no Instituto Médico Legal (IML) de Uberlândia e um deles foi enviado, por engano, ao norte de Minas Gerais.

Um dos corpos iria para Araguari e o outro para Unaí, porém acabaram com os destinos trocados. Washington Oliveira, filho de um dos homens contou que a equipe do IML o chamou para fazer a liberação do corpo, mas ao chegar no local, ele percebeu que não era o pai dele que estava lá.

Washington disse que chegou a questionar um dos médicos legistas sobre o porquê do corpo do pai não estar onde deveria. “Eles [médicos] dizem que ele [corpo] foi para outra cidade e já estaria voltando. O próposito de terem me chamado era para confirmarem que realmente tinha feito a troca de corpos.

O corpo que deveria ir para Unaí é o de Carlos Roberto Ferreira, que teve morte natural e não precisaria de autópsia. Já Luíz Marcos de Oliveira de Ávila, pai de Washington, faleceu após cair do telhado de uma construção onde trabalhava, e deveria ser levado para Araguari.

A equipe do Portal Uipi procurou a assessoria de comunicação do IML para esclarecimento, mas até o fechamento desta edição não houve resposta.

Informações por Batista Pereira

Uma resposta a Corpos são trocados no IML e um deles é encaminhado a 500 km de distância

  1. DEXTER disse:

    Que eu saiba esse é o terceiro caso. Só este ano foram dois casos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *