Preso suspeito de participar da morte de policial carbonizado

*Por Fernando Souza e Carolina Vilela

 

A Polícia Civil apresentou nesta manhã de terça-feira (30) o segurança Evani Félix Santana, de 45 anos, suspeito de participar da morte do policial militar Silas Bonifácio da Silva, 45. Baiano, como é conhecido, não quis expor sua versão sobre o possível envolvimento no crime para a imprensa, mas teria confessado à PC ter ajudado na execução do mesmo. Segundo o delegado de homicídios Helder Paulo Carneiro, Kellen Cristina do Carmo, de 34 anos, foi a autora intelectual e Evani teria feito a execução.

Ainda segundo a PC, Kellen teria convidado o cabo da Polícia Militar para tomar vinho na casa dela, no bairro Tibery. Lá ela teria colocado um remédio tarja preta na bebida dele. Após Silas Bonifácio perder os sentidos, a ex-mulher teria ligado para Evani, que ao chegar ao local utilizou um pedaço de cabo de aço para enforcar a vítima.

Na seqüência, eles teriam colocado o cabo da PM no porta-malas do carro dele e foram até a estrada de Terra Branca, no setor leste de Uberlândia. Evani seguia em um veículo e Kellen dirigia o carro do ex-marido. Lá eles jogaram dois litros de combustível no automóvel da vítima e atearam fogo. Com as chamas, Kellen teve queimaduras em parte dos dois braços e rosto. Os dois fugiram no carro de Evani.

O suspeito de participação no crime foi detido nesta manhã por força de um mandado de prisão expedido na noite de segunda-feira (29).

Segundo o delegado Bernardo Pena Salles, os dois suspeitos serão indiciados por homicídio triplamente qualificado.

Dentro do que sobrou do carro, além do corpo do militar, uma arma foi encontrada. O trabalho de investigação ainda apura se Silas Bonifácio da Silva, de 45 anos, foi morto devido ao enforcamento ou se morreu devido ao fogo.

Baiano era amigo da família

De acordo com o delegado Helder Paulo Carneiro, o crime foi planejado há cerca de um mês. O policial militar Silas Bonifácio da Silva e a suspeita Kellen Cristina do Carmo Alves estavam em processo de separação há três meses. A vítima frequentava a casa da ex, com quem teve dois filhos, hoje com 3 e 10 anos. Ainda segundo o delegado, Baiano era amigo da família há dez anos.

Em troca do “serviço” de ajudar a matar o PM, Kellen estaria ajudando Baiano a construir um lava-jato, segundo investigações da PC.

9 respostas a Preso suspeito de participar da morte de policial carbonizado

  1. Vingador disse:

    Se era pra ser preso tao rapido pra que taca fogo no difunto

  2. Anonimo disse:

    Esse ai era um puxa saco de policia no bairro ipanema!

  3. eugislene oliveira santos disse:

    e baiano dançou!agora vc vair encontrar com os irmazinhos que vc caguetava pro seus amigos policia

  4. joeura disse:

    quando matam um deles , rapidamente eles acham os autores, quero ve qd é um coitado, eles não estão nem ai, se fodam, é a lei do brasil

  5. ana cristina disse:

    joeura independente dele ser um policial,ele é filho de uma mulher que serve a um Deus vivo que jamais iria deixar um crime deste impuni, tanto que ela (Kellen) ficou queimada,sabe porquê? Quem brinca com filhos de Deus se queima!!!!

  6. laura disse:

    Muito triste tudo isso , se ela ja sofria agora vai ser pior…e a violencia contra a mulher que chega a esse ponto

  7. paula disse:

    entao tirar a vida da pessoa nao e certo mas o ke a kelinha sofreu na mao de seu marido ninguem comenta ne…

    • laura disse:

      concordo com vc Paula,se qdo uma mulher denuncia as ameaças,as agressçoes as autoridades tomasse providências, esse crime nao tinha acontecido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *